Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Para Quaresma, é um dos melhores do mundo. Para Fábio Silva, é uma ajuda. Eis Pepe, o veterano

É o elemento mais velho do plantel do FC Porto mas um dos mais utilizados por Sérgio Conceição. Aos 37 anos, Pepe vai somando razões para estar no museu do clube

Tribuna Expresso

Pepe marcou o golo do empate do FC Porto já perto do final

GREGORIO CUNHA/LUSA

Partilhar

Ricardo Quaresma colocou Pepe entre os melhores defesas centrais do mundo, enquanto o “novato” Fábio Silva elogiou a ajuda que o luso-brasileiro lhe oferece. Já Hélder Postiga explica: o segredo da longevidade do internacional português está na seriedade no treino.

Pepe tem 37 anos, dois meses e dois dias de vida. O jornal “O Jogo” aproveitou a pausa nas competições para observar o internacional português, elemento mais velho do plantel do FC Porto, que vai contando o tempo para o regresso do futebol.

Apesar de ser o “sénior” da equipa principal portista, Pepe não deixa de ser um dos mais utilizados por Sérgio Conceição esta época, com 27 jogos. A um ano de terminar contrato, Pepe vai a tempo de bater vários recordes de antiguidade do clube, como o de mais velho a marcar no Dragão, que poderá ser batido ainda esta época, se a pandemia permitir o regresso da competição.

Na carreira de Pepe encontramos uma continuidade ao mais alto nível da qual nem todos os jogadores se podem gabar. O segredo, segundo contou a “O Jogo” Hélder Postiga, que partilhou o balneário com ele, está na "paixão que tem pelo treino e pelo jogo". "Treina ao máximo todos os dias. Não há um treino que ele não faça parecer que é tudo sério e isso reflete-se no resto", explica Postiga, que jogou com Pepe no FC Porto e na seleção nacional.

"Apesar da idade, continua a ser dos melhores centrais do mundo", refere sem hesitações Ricardo Quaresma. "É incrível poder estar perto do Pepe, uma pessoa que já ganhou tudo e que é uma figura do futebol mundial. Ele procura sempre passar-me as vivências dele e ajudar-me", afirma o jovem Fábio Silva.

O início do ano trouxe-lhe um problema muscular, mas nada de grave. Como habitual, de resto. "As lesões mais importantes que teve surgiram cedo na carreira e ele soube ultrapassá-las, por força de uma aplicação tremenda e os devidos cuidados", nota Postiga.

Com fama de osso duro de roer e alguns episódios menos felizes em que perdeu a paciência, Pepe parece ser diferente fora da competição: "Ele é muito diferente fora do campo. Tem os cuidados naturais com a dieta, como todos, mas é mais despreocupado", explica ainda Hélder Postiga. “Ele consegue aliar-se a cobrança diária. Por isso, acredito que vá jogar mais algum tempo", projeta Postiga.