Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Afinal o Sporting só pagou parte da dívida, garante Mihajlovic

Depois de um anúncio dos Leões a comunicar a regularização da situação do ex-treinador, o sérvio desmente e admite voltar a recorrer à UEFA

Tribuna Expresso

Nicola Campo/Getty

Partilhar

Sinisa Mihajlovic não gostou de ouvir dizer que o Sporting saldara a dívida de três milhões de euros que tinha para com ele. Segundo o jornal “A Bola”, o treinador de 51 anos mostrou-se surpreso e indignado perante o anúncio do clube de Alvalade, garantindo que a dívida não foi saldada na totalidade.

Recorde-se que o valor da indemnização resulta de uma queixa do ex-técnico do Sporting ao Tribunal Arbitral do Desporto, com sede na Suíça. Mihajlovic viu reconhecidos pelo tribunal os seus direitos à compensação financeira. A queixa do treinador baseou-se no seu despedimento apenas 10 dias após ter sido contratado pelo Sporting.

Sinisa Mihajlovic foi despedido por Sousa Cintra, presidente da SAD do Sporting, com os Leões a argumentarem, para fundamentar a decisão, que o treinador estava em período experimental o que, segundo a justiça, não era aplicável.

A dívida tinha de ser saldada até hoje, dia 30 mas, estupefacto com o anúncio de que a situação estaria já regularizada, Mihajlovic resolveu fazer uma declaração pública através do seu advogado, Paolo Lombardi.

“Tentei evitar comentar publicamente este assunto e respeitar a confidencialidade do processo, mas, dada a desinformação de algumas notícias ontem divulgadas, presumo que pelo Sporting ou por alguém de dentro do clube, não tenho alternativa a não ser emitir uma declaração para corrigir essas mesmas informações,” afirma o técnico, prosseguindo: “Até ao momento, o Sporting não resolveu o nosso diferendo e não fez o pagamento integral do valor decidido pelo TAS a 28 de novembro de 2019”. “Desde a passagem do ano, quando o clube reconheceu a sua dívida pela primeira vez, o Sporting nada mais fez do que tentar atrasar o pagamento da indemnização,” acusa o sérvio.

O atual treinador do Bolonha refere ainda: “Nos últimos meses, o clube apresentou-me várias propostas para tentar saldar a sua dívida para comigo, mas quando ficou claro que estava apenas a tentar atrasar o pagamento devido, decidi envolver a UEFA. E apenas a ameaça concreta de uma exclusão das competições da UEFA levou o Sporting a fazer um pagamento parcial de sua dívida”. Sinisa Mihajlovic não tem dúvidas: “Tal conduta é totalmente inaceitável e se eu tiver que recorrer novamente para a UEFA para receber todo o valor concedido pelo TAS há mais de cinco meses, vou fazê-lo, mesmo que isso resulte na exclusão do Sporting das competições europeias”.

Segundo o que “A Bola” conseguiu apurar, a diferença em causa, acima dos €500 mil, está relacionada com impostos a pagar pela operação, sendo que as partes têm diferentes visões do assunto.

Também os adjuntos Miroslav Tanjga e Emilio de Leo foram despedidos sem ter orientado qualquer treino no Sporting. Os membros da equipa técnica de Mihajlovic estavam a aguardar para perceber como iria desenvolver-se a situação do chefe de equipa. Vendo que o processo se desenrolou a favor do atual treinador do Bolonha, decidiram ambos avançar também para o TAS, reclamando indemnização. Os Leões terão agora outra(s) batalha(s) no Tribunal Arbitral do Desporto.