Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

O arrependimento de um árbitro: “Em poucos segundos percebi que a decisão estava errada. Só queria que o Ronaldo falhasse o penalti”

Foi um dos árbitros mais importantes do futebol inglês das últimas décadas. Inúmeras vezes elogiado pelas decisões acertadas, diz que há apenas um momento que o faz arrepender-se

Tribuna Expresso

Catherine Ivill - AMA

Partilhar

Começou a carreira cedo, com apenas 18 anos. Estávamos no ano 2000. Três anos depois, Howard Webb começou a arbitrar jogos da Premier League e em 2005 recebeu as insígnias FIFA. No fim da época 2013/14, resolveu que era tempo de parar e retirou-se da arbitragem.

Ao longo da carreira, foram mais de 850 jogos oficiais, entre os quais a final do Campeonato do Mundo e a da Liga dos Campeões, em 2010. Em tempo de paragem obrigatória, o antigo árbitro inglês deu uma entrevista ao site “The Athletic”. Durante o seu percurso, Howard Webb diz que tem apenas um arrependimento.

No dia 25 de abril de 2009, enquanto milhares se juntavam nas ruas de Portugal e celebravam a liberdade sem máscara, em Inglaterra jogava-se mais uma partida da 34.ª jornada da Premier League, em Old Trafford, entre Manchester United e Tottenham. Ao intervalo, os de Londres venciam por 2-0 mas, logo no início da segunda parte, Webb acabou por ser o protagonista do que viria a ser a reviravolta. O árbitro assinalou uma grande penalidade favorável ao Manchester United.

"Eu vi o Carrick chegar primeiro à bola e depois o guarda-redes [Gomes] tocou nele. Foi um penalti fácil de assinalar. E eu esperava os protestos normais que costumamos ver dos jogadores, não o olhar de espanto e incredulidade do Gomes. Em poucos segundos percebi que a decisão estava errada", conta Howard Webb que, ao longo da carreira, foi várias vezes acusado de favorecer os Red Devils.

Tendo-se apercebido do erro, o juiz teve esperança de que o português que se encaminhou para a bola falhasse. Só que o português chamava-se Cristiano Ronaldo: "Mantive a decisão que tomei. Não tinha certezas de que tinha errado, só um pressentimento. E só queria que o Ronaldo falhasse o penalti, mas ele não o fez".

Insatisfeito como sempre, Cristiano marcou mais uma vez. Rooney bisou e também Berbatov fez o gosto ao pé. O Manchester United venceu por 5-2 e voou rumo à conquista da Premier League.