Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Marcelo Rios e a Covid-19: “Se matarmos dois tipos que não respeitem as regras de confinamento, mais ninguém brinca com isso”

O antigo tenista chileno partilhou um vídeo do presidente das Filipinas, que defende a morte como castigo para quem não cumprir o confinamento

Tribuna Expresso

CLAUDIO REYES

Partilhar

Sendo o confinamento social um conselho na maioria dos países, há casos em que ele é obrigatório. Depois, há os extremos, desde aqueles que desafiam descaradamente as ordens e os conselhos aos que, como o ex-tenista Marcelo Rios, acreditam que o castigo para quem não cumpre as regras é só um: a morte.

Na sua conta oficial de Instagram, o chileno partilhou um vídeo em que aparece o controverso presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, a anunciar que no seu país deu ordem para “disparar a matar” qualquer pessoa que saia de sua casa em plena quarentena, o que originou diversas críticas de todos os lados.

Marcelo Rios não só não criticou as palavras do líder filipino como aprovou a medida radical, acrescentando que a regra devia também ser aplicada no Chile, o seu país. “Não sei que tipo de Governo tem este país mas se matarmos dois tipos que não respeitem, estou seguro que mais ninguém brinca com isso”, escreveu aquele que foi o primeiro tenista da América Latina a alcançar o primeiro lugar do ranking ATP.

“É a minha opinião pessoal,” prosseguiu. “Penso que quando as coisas saem do controlo é preciso ter mão firme.” Diga-se que muitos dos seus seguidores na rede social lamentaram de imediato que o seu ídolo concordasse com o pensamento do líder filipino.