Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Treino, palestras e autoconfiança: os segredos de Jürgen Klopp para o sucesso. A roupa que se lixe

O treinador prestes-a-ser-campeão do Liverpool deu uma palestra online em que entreteve e explicou as razões por que é visto como uma referência no futebol atual

Tribuna Expresso

Harold Cunningham - UEFA

Partilhar

“O teu futebol tem de ser o espelho da tua alma,” diz Klopp. O treinador do Liverpool está a meio de uma conversa fascinante sobre a sua forma de vestir e tem uma mensagem importante para os aspirantes a treinadores que o ouvem através do Zoom: “Tens de trazer contigo o teu próprio caráter”.

Troy Townsend, da Kick It Out, a organização anti-discriminação no futebol, convidou o alemão para uma palestra, ao lado do selecionador inglês, Gareth Southgate, Gerald Lami, da academia da Juventus em Omã e Taff Rahman, da federação inglesa. Lami arrisca uma pergunta ao treinador do Liverpool: “Tendo vindo para Inglaterra como refugiado, a aparência é algo com que sempre tive cuidado. Como é que conseguiu ir contra o visual tradicional dos treinadores?”.

Depois de uma gargalhada, Klopp responde: “Interessante. O que eu consigo ler nas entrelinhas é que pareço um vagabundo”. Mais a sério, o alemão justifica: “Eu era jogador e no dia seguinte era o treinador”. Lembre-se que Klopp começou a treinar o Mainz aos 35 anos. “No meu cacifo estava o fato de treino do tipo que tinha saído há dois dias. Nem me ficava bem. Eu estava focado no jogo. (…) Depois, quando cheguei ao Borussia Dortmund, pensei: ‘Talvez tenha de mudar’. Ainda usei jeans e camisa uns tempos, mas não me sentia confortável.

Klopp pega no exemplo de um rival para entrar no modo “palestra de motivação”. “Mas isso não significa que seja mau. Eu acho que o treinador mais bem vestido é o Pep Guardiola. Tudo o que ele usa lhe fica bem. E ele não usa fato, só roupa casual. (…) Talvez tenhas alguma falta de confiança. Achas que tens de convencer as pessoas com o teu visual.”

“Sê tu próprio como treinador,” diz Klopp. “Se queres ter bom aspeto, isso é ótimo. Eu não fui feito para isso. É importante que faças o que está certo para ti porque qualquer que seja o teu exemplo, nunca poderás fazer as mesmas coisas. Gosto quando vês a alma ou o caráter do treinador na equipa.” Klopp volta a Guardiola para dar o exemplo. “Vês uma equipa dele e pensas: ‘Wow, ou é Guardiola ou alguém que trabalhou com ele’.” Para rematar, o alemão acrescenta: “Mas não te preocupes, podes ser campeão de fato ou de fato de treino. Só tens de estar confortável”.

Lami gostava de conhecer o segredo da autoconfiança de Klopp. “Eu era um miúdo cheio de confiança. Qualquer coisa que eu fizesse, a minha mãe dizia: ‘Brilhante’. O meu pai dizia: ‘Sensacional’. Tive muito amor. Não duvido das pessoas. Sou completamente aberto. Não tenho nada a seconder. Dou tudo mas não espero nada em troca.”

Para Klopp, aceitar a derrota como parte da vida tem sido fundamental para o seu sucesso no Liverpool. O histórico clube inglês está a um passo de ganhar o primeiro campeonato inglês em 30 anos. “Eu dou tudo e espero dos meus jogadores que deem tudo. Depois vê-se. É isso que cria a mentalidade da equipa.”

Sobre comunicação, Klopp também tem uma ideia clara: “Eu conheço-me. Confio em mim próprio para dizer a coisa certa no momento certo”. “Perdi seis finais seguidas. Isso não significa que não vá tentar novamente. Somos seres humanos. Nenhum de nós é perfeito. Levanto-me de manhã com um sorriso na cara. Os rapazes podem desiludir-me? Nem por isso. Se alguma coisa correr mal, eu penso que a minha mensagem não foi suficientemente clara e não que eles sejam burros. Mas por que devo ficar infeliz comigo próprio? Apenas tenho de melhorar a minha mensagem.”

Foi a preparação que ajudou o Liverpool na caminhada de 44 jogos invictos para o título inglês. “Como conseguimos 10 jogos sem derrotas? É exatamente o mesmo que 40 jogos sem derrotas. Devias pensar de forma mais positiva sobre ti próprio. (…) Ganhamos um jogo, fico feliz. No dia seguinte já não penso no jogo.”

O tempo passa e Klopp só tem tempo para mais duas dicas. “Se fores realmente ambicioso, tens de perceber o jogo,” diz. “O facto interessante do futebol é que todos pensam ser peritos. É um jogo bonito, simples, mas não é fácil. (…) Há muito a aprender, a observar. (…) No momento em que paras de aprender, o jogo desenvolve-se. Comecei há 20 anos. É o mesmo jogo? Não. É muito mais físico, mais rápido.” O outro conselho passa por “seres tu próprio”. “Não tens outra hipótese. Sê tu próprio e aprende mais sobre o jogo. Então eu diria que há uma grande hipótese de jogarmos um contra o outro. Por que não?” Klopp ri-se mais uma vez e despede-se, está na hora do treino.