Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Lance Armstrong foi vítima do padrasto. “Eu tratei-o como um animal. É a única coisa de que me arrependo”

Terry Armstrong admite não ter dito a Lance que o amava mas considera-se responsável por tê-lo transformado num campeão

Tribuna Expresso

Ezra Shaw/Getty

Partilhar

Quanto do comportamento de Lance Armstrong pode ser justificado pela educação que recebeu? O documentário da ESPN, “Lance”, dá-nos alguma ideia das razões que levavam o antigo ciclista a abusar dos outros, explorando a sua relação com o padrasto, Terry Armstrong.

Lance Armstrong referiu que o padrasto – que classificou como “terrível” no documentário – usava castigos físicos nele como consequência da mais pequena ofensa. “Eu deixava uma gaveta aberta e ele sacava da palmatória e batia-me,” contou Lance.

Terry Armstrong adotou Lance quando este tinha três anos. A mãe, Linda Armstrong Kelly, teve-o com 17 anos, fruto de uma relação abusiva com o pai biológico de Lance, separando-se antes de conhecer e casar com Terry.

O padrasto do ex-ciclista reconhece ter sido muito duro com o enteado, resultado da sua educação militar. Dito isto, também afirma que Lance nunca se teria tornado um campeão se não fosse a educação que lhe deu. “Lance não seria o campeão que é hoje sem mim, porque eu levei-o a isso,” afirmou. “Eu tratei-o como um animal. É a única coisa de que me arrependo: Transformei-o em alguém que quer ‘ganhar a todo o custo’?”

Terry também admite: “Não o abracei o suficiente, não lhe disse que o amava. Mas estive sempre lá, sempre a treiná-lo, a puxar por ele. Mas não lhe mostrei o amor que devia”.

Armstrong ficou conhecido por intimidar pessoas que questionavam se o seu sucesso no ciclismo se devia a substâncias proibidas. Mas o comportamento, de acordo com o documentário, pode ter começado na adolescência.

O antigo treinador de triatlo de Armstrong, Rick Crawford, admite que viu em Lance distúrbios de personalidade desde o primeiro dia. Nas Bermudas, Crawford arranjou uma scooter para que Lance desse umas voltas pela ilha. Armstrong tratou mal a motorizada e não a devolveu a horas. Quando o treinador abordou a mãe de Lance sobre o assunto, ela disse que não tinha autoridade sobre ele.