Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Rúben Neves: “É muito estranho não teres a adrenalina dos fãs. Mas é realmente importante que o futebol regresse”

O médio de 23 anos é uma das figuras do Wolverhampton e da Premier League. O “The Guardian” foi saber o que ouve antes do jogos e as ideias para a época que recomeça

Tribuna Expresso

Carl Recine

Partilhar

As notícias do regresso da Premier League são música para os ouvidos de Rúben Neves, mesmo que isso signifique as aulas de guitarra que tem tido durante o confinamento vão provavelmente ficar para trás. O médio português do Wolverhampton tinha acabado de completar a primeira sessão de treino de contacto em mais de dois meses na quinta-feira quando se soube que a equipa poderia voltar à ação no fim de semana de 19 de junho.

Ao jornal “The Guardian”, Neves revelou que está ansioso por retomar a rotina antes dos jogos: “Os Coldplay são a minha banda preferida e é esse tipo de música que eu oiço sempre antes de um jogo. (…) Normalmente a última canção que oiço antes de tirar os auscultadores é a ‘Fix You’. Gosto da letra e ajuda-me a concentrar para o jogo.”

Aparentemente demasiado suave para usar como estímulo para um jogo da Premier League, as letras da canção falam de resistir ao desespero. Por isso, talvez faça bastante sentido quando a época recomeçar num país ainda atormentado pela Covid-19. O português de 23 anos acredita que o regresso do futebol vai dar algum alívio. “É sempre bom ter de volta as sensações do futebol, as emoções, os golos, tudo. É realmente importante que o futebol regresse.”

Na quinta-feira, Neves e os companheiros de equipa deram um passo de gigante em direção ao regresso. “Estamos muito contentes, ainda mais depois da sessão de treinos porque pudemos finalmente jogar futebol a sério. Até agora só tínhamos treinado individualmente ou em pequenos grupos sem contacto.”

Nuno Espírito Santo, o treinador, teve de manter-se vigilante para assegurar que a combinação de falta de prática e entusiasmo não desse maus resultados. “As pessoas estavam entusiasmadas mas ele garantiu que se mantivessem focadas em jogar futebol. Ainda temos tempo para competir e recuperar esse sentimento competitivo. Por agora, o mais importante é voltar ao espírito de equipa, as jogadas e as táticas.”

O último jogo dos Wolves, frente ao Olympiakos, para a Liga Europa, já foi à porta fechada. Os jogadores têm já uma noção do que os espera. “É muito estranho não teres a adrenalina dos fãs. Estamos habituados a jogar com ruído, mas infelizmente a situação é má e nós não sabemos quando as coisas vão voltar ao normal, temos de nos habituar. O aquecimento é a parte mais importante para nos habituarmos ao estádio vazio, ao silêncio.”

Outro dos receios dos adeptos do clube é que o sucesso da equipa leve a que muitos jogadores não resistam aos apelos de outras paragens. O “The Guardian” refere o possível interesse do Manchester City em Rúben Neves.

“Tem havido sempre especulação desde que eu cheguei aqui, sobre a nossa equipa mas nós não pensamos nisso. Queremos continuar juntos mas é o futebol, a especulação estará sempre lá. O nosso trabalho é jogar e deixar essas coisas para as pessoas que têm de tratar disso.”