Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Isto não é um crime de ódio. Isto é contra o sistema”: antigo jogador da NBA agride quem lhe partiu a janela do carro. Foi tudo filmado

O ex-jogador dos Cleveland Cavaliers, J.R. Smith, diz que não se trata de um crime de ódio mas o facto de Smith ser afro-americano e o homem ser branco pode tornar-se controverso numa América cada vez mais dividida

Tribuna Expresso

Partilhar

A antiga estrela da NBA J.R. Smith envolveu-se num confronto físico no passado fim de semana que pode vir deitar combustível numa fogueira racial que está a atingir proporções difíceis de domar nos EUA.

Smith, que ainda a época passada jogou nos Cleveland Cavaliers, fui filmado a atacar um homem em Los Angeles. Segundo o ex-atleta, o homem em causa partiu-lhe o vidro do carro durante os protestos que tiveram origem na morte de George Floyd.

Floyd morreu na segunda-feira à noite, depois de o – entretanto expulso – agente da polícia Derek Chauvin, um homem branco, se ter ajoelhado no seu pescoço durante longos minutos enquanto Floyd pedia que o deixassem respirar. Desde a data, os protestos contra a brutalidade policial têm-se espalhado por inúmeras cidades americanas.

Num outro vídeo que gravou após o confronto, Smith admitiu que vive numa “zona residencial” longe da baixa de Los Angeles, onde os protestos acontecem. Smith disse que o suposto assaltante era “um desses rapazes brancos de m***a”. A antiga estrela da NBA disse, sobre o indivíduo: “Não sabia aonde ia e partiu a m***a da janela do meu carro”. “Eu persegui-o e dei-lhe uma coça,” disse Smith.

No vídeo da luta, que a TMZ Sports mostrou, Smith pode ser visto a pontapear o homem com este no chão. Quando ele se põe de pé, o imponente Smith esmurra-o na cabeça com a mão direita.

Apesar de o homem ser branco, Smith insiste que a cor da pele não teve qualquer influência na sua decisão de persegui-lo. “Isto não é um crime de ódio. Não tenho problemas com ninguém que não tenha problemas comigo. É um problema com a m***a do sistema, é isso.”