Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Scott Minto: “Jogar no Benfica foi o maior feito da minha carreira. Fiz bons amigos”

Jogava no Chelsea quando resolveu arriscar uma aventura no estrangeiro. Esteve dois anos no Benfica, num momento pouco estável do clube da Luz. Ainda assim, Minto não esconde o orgulho

Tribuna Expresso

Matthew Ashton - EMPICS

Partilhar

Vindo do Chelsea, foi o primeiro britânico a chegar à Luz na conturbada segunda metade dos anos 90. Tal como Brian Deane, veio antes ainda de Graeme Souness e do pacote de compatriotas como Michael Thomas, Steve Harkness, Gary Charles ou Dean Saunders. E, ao contrário destes, conquistou o afeto dos adeptos. Passados 23 anos, Minto recorda com saudade as duas temporadas que passou no Benfica.

“Adoro todos os clubes que representei. O Chelsea tornou-se um dos maiores clubes da Europa. Fiz parte da equipa que, em 1997, venceu a Taça de Inglaterra, o primeiro título do clube em 26 anos. Foi o melhor dia da minha carreira,” disse ao podcast “World Football Index”.

Apesar de tudo, parece ter sido o clube da Luz a deixar marcas mais profundas: “Jogar no Benfica foi o maior feito da minha carreira. Ir para o estrangeiro, jogar num dos maiores clubes da Europa e no maior de Portugal. Tínhamos cinco mil pessoas a assistir aos treinos, 80 mil num jogo de pré-epoca com a Lazio, era absolutamente incrível”.

Minto tem hoje 48 anos. Olhando para trás, considera que a integração na Luz correu “melhor que o esperado”. “Integrei-me bem no balneário, estava numa boa condição física e era titular. Disseram-me que o Valência estava interessado em contratar-me, três jogos depois lesionei-me com gravidade no joelho e fiquei meses sem jogar.”

Quando regressou da lesão, o Benfica tinha mudado de treinador e era Graeme Souness o comandante. “Gostei de trabalhar com ele. Conseguimos uma boa série de resultados, não fomos campeões, mas terminámos o campeonato em segundo e conseguimos a qualificação para a Liga dos Campeões”.

Não foi apenas nos relvados que a passagem de Minto por Portugal o marcou. “Fiz bons amigos. Fora de campo, a vida em Portugal e o tempo eram fantásticos. Foi um momento muito bom da minha vida e o maior feito da minha carreira,” admitiu.

Quando deixou o Benfica, Scott Minto regressou a Inglaterra para representar o West Ham. Em 2006, terminou a carreira de jogador com a camisola do modesto Rotherham.