Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Bruno Fernandes chorou quando soube que ia para o Manchester United. “Sabes, a verdade é que fiquei assustado”

O jogador português confessa ter cumprido dois sonhos: a Premier League e o Manchester United. Quando ficou a par da hipótese de jogar nos Red Devils, chorou, ligou à família toda e entretanto chegou e conquistou os adeptos

Tribuna Expresso

Simon Stacpoole/Offside

Partilhar

Bruno Fernandes diz que ficou em lágrimas quando ouviu que o seu clube “de sonho” o queria contratar. O português juntou-se ao Manchester United em janeiro, vindo do Sporting, depois de ter sido seguido durante algum tempo pelo clube de Old Trafford.

Diz o jornal inglês “Daily Mail” que o maiato de 25 anos tem sido “uma lufada de ar fresco” desde que se juntou aos Red Devils. Até agora, Fernandes marcou três golos e fez quatro assistências em nove jogos.

Tendo crescido a ver o compatriota Cristiano Ronaldo brilhar com a camisola vermelha, Fernandes diz que foi esmagado pela emoção quando se apercebeu do interesse do atual clube nos seus serviços. Numa entrevista em direto no Instagram, o português disse: “Sabes, a verdade é que fiquei assustado. Era um sonho tornado realidade mas era um grande sonho. Para mim, jogar em Inglaterra e no Manchester United era o momento alto da minha carreira”.

“Quando recebi a chamada a dizer: ‘Bruno, há uma hipótese de te mudares para Manchester’, liguei à minha mulher, ao meu irmão, à minha irmã, à minha mãe, e comecei a chorar. Mas estava a chorar de alegria. Lutei a vida toda por isto, por este clube de topo. A oportunidade estava aqui e eu precisava de a agarrar com toda a força, para seguir o meu sonho.”

Fernandes continua: “A minha família sabia desde o início que eu queria ser futebolista, sabiam que o meu grande sonho era estar na Premier League e jogar pelo Manchester United”.

Aparentemente, os adeptos dos Red Devils já se renderam ao criativo português, depois de este ter tido um efeito galvanizador na equipa. Bruno Fernandes espera agora que as coisas continuem bem quando a Premier League regressar este mês, após a paragem devido à pandemia do novo coronavírus.