Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Hamilton apoia quem atirou estátua de esclavagista à água. “Devia ficar no fundo do rio, com as 20 mil almas africanas que roubou”

Manifestantes do protesto antirracismo na cidade inglesa de Bristol atiraram ao rio a estátua de Colston, um homem que fez fortuna a vender escravos. O hexacampeão do mundo de Fórmula 1 não deixou de mostrar o seu apoio ao gesto, lembrando as vítimas de homens como ele

Tribuna Expresso

Robert Cianflone

Partilhar

Lewis Hamilton mostrou o seu apoio inequívoco aos manifestantes que, em Bristol, removeram a estátua de Edward Colston, um antigo comerciante de escravos, e a atiraram ao rio. Hamilton é o único piloto negro da grelha da Fórmula 1 e tem mostrado a sua condenação à morte de George Floyd o seu apoio ao movimento Black Lives Matter.

Hamilton pronunciou-se também acerca da forma como o Governo britânico tem lidado com a pandemia, insistindo que o Reino Unido merece líderes políticos de mais qualidade.

A semana passada, o hexacampeão do mundo de Fórmula 1 criticou os colegas de profissão pelo silêncio que têm mantido acerca da morte de Floyd e depois disse tinha ficado “enraivecido” com os acontecimentos nos EUA. Na segunda-feira, Hamilton fez uma publicação no Instagram dizendo que os manifestantes em Bristol tinham feito bem e insistiu que a estátua de Colston deveria ser deixada onde ficou depois de ser atirada à água.

“Se essas pessoas não tivessem derrubado aquela estátua a homenagear um comerciante de escravos racista, nunca teria sido removida,” disse Hamilton. “Fala-se de a levarem para um museu. A estátua daquele homem devia ficar no fundo do rio tal como as 20.000 almas africanas que morreram na viagem para aqui e foram atiradas ao mar, sem enterro ou memorial.”

Hamilton prosseguiu: “Ele roubou-os às suas famílias, aos seus países, e não pode ser celebrado. Devia ser substituído por um memorial a todos os que ele vendeu, todos os que perderam as suas vidas”.

Em Inglaterra, a secretária do Interior, Priti Patel, condenou o derrube da estátua. Mas o diretor desportivo da Fórmula, Ross Brawn, disse que a modalidade apoia totalmente a posição de Hamilton: “O Lewis é um grande embaixador para o desporto, os seus comentários são muito válidos e apoiamo-lo a 100%”.

Brawn confirmou também que a Fórmula 1 está proativamente a promover a diversidade. A modalidade comprometeu-se a contribuir para que mais grupos minoritários estejam representados nas suas corridas.