Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Ministro britânico do Desporto pede aos adeptos que não se juntem nos estádios ou as suas equipas jogarão em campo neutro

Com a Premier League de regresso, Nigel Huddleston fez um apelo para que os fãs não se agrupem à porta dos estádios e vejam os jogos em casa, na televisão. Jürgen Klopp fez o mesmo apelo aos adeptos do Liverpool

Tribuna Expresso

Visionhaus/Getty

Partilhar

O Governo inglês avisou os adeptos de futebol de que serão dispersados pela Polícia se aparecerem nos locais dos jogos da Premier League que, tal como acontece com a Liga NOS, serão jogados à porta fechada. Em caso de desobediência da parte dos fãs, os clubes podem jogar ter de jogar em campos neutros.

O ministro inglês do Desporto, Nigel Huddleston, diz que apesar de estar encantado com o regresso do futebol inglês na quarta-feira à noite, com o Aston Villa a receber o Sheffield United, os adeptos têm de perceber as implicações de quebrar as regras.

“Estamos num período de desconfinamento mas precisamos que todos respeitem as regras e não quero uma situação em que os fãs se juntam e a polícia tem de os dispersar. É mau para o futebol, para o desporto e para o que conseguimos progredir nas últimas semanas. Se as pessoas se juntarem em vez de seguirem as orientações, isso vai pô-las em perigo e ameaçar o futuro do futebol.”

Huddleston diz que percebe a vontade dos fãs, a urgência de celebrar golos e vitórias, mas apela a que aproveitem o facto de todos os jogos irem ser transmitidos em sinal aberto, na televisão. “E quanto mais depressa conseguirmos livrar-nos da pandemia do novo coronavírus, mais depressa teremos fãs de volta aos estádios.”

O treinador do Liverpool, Jürgen Klopp, concorda com o ministro. O alemão enviou um vídeo aos adeptos do Liverpool na terça-feira prometendo-lhes que a sua equipa iria sentir o seu apoio, mesmo assim. “Vocês continuam a ser 80 a 90% da gasolina nos nossos tanques. (…) A mensagem final é para estarem seguros e apoiarem-nos a partir de casa.”

De acordo com o “The Guardian”, uma sondagem mostra que 40% dos britânicos considera que a Premier League está a regressar antes do tempo, mas Huddleston insiste que todas as precauções foram tomadas. “Foi feito muito trabalho para nos assegurarmos de que o risco é o mínimo possível.”

Huddleston referiu-se ainda ao debate sobre a falta de diversidade racial entre os dirigentes desportivos. O ministro prometeu uma revisão ao código do desporto no que diz respeito à presença de negros, asiáticos e outros grupos étnicos minoritários em posições de liderança.