Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Andy Murray juntou-se às críticas a Djokovic: “Não surpreende quantas pessoas testaram positivo depois de ver imagens da festa"

O tenista britânico desejo as melhoras ao casal Djokovic mas não deixou de dar a sua opinião em relação ao torneio de ténis dos Balcãs que provocou um surto de Covid-19. “Não é algo que devesse ter acontecido”.

Tribuna Expresso

Fred Lee

Partilhar

O regresso de Andy Murray ao ténis, sete meses depois, foi uma vitória contundente sobre Liam Broady e uma exibição de encher o ouvido na conferência de imprensa. Numa mistura de solidariedade e crítica, Murray falou sobre a revelação de que Novak Djokovic e a sua mulher, Jelena, testaram positivo para o novo coronavírus.

“Antes de mais, espero que estejam bem e a recuperar e que todos os que foram afetados estejam em segurança e com saúde.” Mas o britânico não poupou nas críticas ao número um mundial e à forma como permitiu que um torneio de ténis nos Balcãs se transformasse numa descida aos infernos virais, das festas numa discoteca de Belgrado ao facto de três outros jogadores, incluindo o amigo de Djokovic, Viktor Troicki e a sua mulher grávida, Aleksandra, e dois treinadores terem testado positivo.

“Olhando para trás, não é algo que devesse ter acontecido,” disse Murray do evento condenado ao fracasso, que acabou por ser cancelado após duas das três mãos. “Não surpreende quantas pessoas testaram positivo depois de ver imagens da festa dos jogadores e do dia das crianças. Não houve distanciamento social.”

Murray falou da influência deste caso na realização do Open dos EUA: “Algumas pessoas disseram que talvez isto tenha posto o US Open em causa, o que pode ser verdade. Mas as medidas e os protocolos que a United States Tennis Association implementou são diferentes do que acontece na Sérvia e na Croácia. Não há público. O coronavírus não quer saber de quem somos ou do que fazemos. Temos de o respeitar e às regras. Não me parece que tenha sido bom para a imagem do ténis. O único facto positivo é que, até que seja seguro fazê-lo, não abriremos as portas aos fãs, para reduzir o risco.”