Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Ginastas revelam mais abusos: “Estava tão enraizado nas nossas vidas diárias que se tornou completamente normalizado”

Becky e Ellie Downie juntam as suas denúncias às das suas colegas nos últimos tempos, sobre a forma “cruel” como a British Gymnastics trata as atletas de elite. A obsessão com o peso das ginastas é a questão mais vezes repetida

Tribuna Expresso

Alex Livesey

Partilhar

Becky e Ellie Downie são medalhistas do Campeonato do Mundo de Ginástica e vieram agora juntar-se ao grupo de atletas que falaram sobre os abusos na equipa britânica, num depoimento chocante que refere que “o comportamento cruel estava tão enraizado nas nossas vidas diárias que se tornou completamente normalizado”.

As irmãs são vistas como grandes esperanças da equipa britânica para os Jogos Olímpicos de Tóquio, no próximo ano. Becky e Ellie disseram ter encontrado um “ambiente de medo e abuso mental”, com perguntas constantes sobre os seus pesos e atitudes, bem como um nível de treino tão severo que os seus corpos repetidamente ficaram esgotados.

Ellie Downie revelou que não podia comia ou beber na noite anterior à pesagem e que um treinador lhe tinha dito uma vez que “esperava que os analgésicos” que a atleta tomava por causa de uma lesão “fossem comprimidos para emagrecer”. Ellie admitiu: “O foco constante no meu peso vai deixar cicatrizes que nunca vão desaparecer”.

Sobre as suas experiências iniciais no desporto, ambas as irmãs disseram: “Claro que não percebemos o quão errado aquilo era na altura. Demorou anos e anos para percebermos e aceitarmos”. “Apesar de as experiências variarem, durante muito tempo, a saúde e o bem-estar de jovens mulheres foram considerados secundários numa cultura datada, cruel e – achamos nós – muitas vezes ineficaz na ginástica feminina.”

Becky Downie ganhou 14 medalhas para a Grã-Bretanha e para a Inglaterra durante a sua carreira. A atleta descreveu como ela tinha “treinado até ao ponto de rutura física” em muitas ocasiões, antes de admitir: “Foi apenas em anos mais recentes que eu descobri verdadeiramente o impacto mental que isso teve em mim”.

Becky acrescentou: “Em 2018, e tendo em conta que por esta altura eu era uma atleta com estatuto sénior, tentei falar num estágio nacional sobre o que eu considerava ter sido uma aproximação pouco segura ao meu treino pessoal. Mandaram-me calar, chamaram-me “mentalmente fraca” e disseram que os níveis de dor das lesões que estava a experienciar estavam na minha cabeça. Apenas 12 dias mais tarde, nos Campeonatos da Europa, lesionei-me outra vez no tornozelo, consequência dos treinos”.

A irmã mais nova, Ellie, diz que foi constantemente levada a sentir-se “envergonhada” acerca do seu peso. “Desde os 14 anos que me dizem para fazer dieta constantemente,” admitiu. “Uma vez, nessa altura, depois de me terem dito que eu estava muito pesada, um nutricionista mandou-me enviar-lhe diários sobre tudo o que eu comesse, bem como fotografias diárias minhas em roupa interior para provar que eu não estava a mentir.”

As Downies admitem que a cultura na ginástica britânica tem melhorado nos últimos anos, depois de queixas em privado e que desde 2018 que as pesagens regulares pararam. A British Gymnastics anunciou um inquérito a estas denúncias mas recusou-se a comentar o depoimento concreto das duas irmãs, diz o “The Guardian”.