Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Grande Prémio da Grã-Bretanha: entre os protestos de Hamilton e a Covid-19 de Sergio Pérez

Lewis Hamilton reuniu-se com os responsáveis da F1 e parece mais satisfeito com a forma dos protestos antirracismo. Sergio Pérez fica de fora da prova, com a Racing Point a apresentar um piloto de reserva

Tribuna Expresso

Peter Fox/Getty

Partilhar

Hamilton está otimista no que diz respeito a uma Fórmula 1 unida contra o racismo, apesar de algum desentendimento nos bastidores quanto à forma de o demonstrar. Ao mesmo tempo, Sergio Pérez é o primeiro piloto F1 a testar positivo à Covid-19 antes do Grande Prémio da Grã-Bretanha, já este fim de semana.

O piloto da Racing Point entrou em quarentena e já não esteve em Silverstone na quinta-feira mas o evento vai prosseguir durante o fim de semana, tal como planeado, com a equipa a usar um piloto de reserva.

“Com a assistência do organizador do Grande Prémio da Grã-Bretanha, das autoridades de saúde e do delegado da FIA para a Covid-19, foi organizada uma operação rigorosa e todos os que estiveram em contacto com Pérez estão em quarentena,” diz o comunicado da FIA.

Hamilton disse ter conversado com os líderes da F1 e vê com bons olhos a adoção de uma cerimónia formal para mostrar uma frente unida contra o racismo antes da corrida de domingo. No entanto, ficou também claro que um grande número de pilotos questionou-se se deveria continuar com quaisquer gestos.

Ao mesmo tempo que se congratulava com o novo modelo de protesto, Hamilton confirmou que quer continuar na Fórmula 1 mais algum tempo. “Não há outro piloto com o meu ‘background’ a chegar e tenho consciência disso. Vou definitivamente continuar por aqui no futuro mais próximo. O meu objetivo é continuar a pilotar enquanto puder. Vejo-me a fazê-lo pelo menos mais três anos.”