Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Manchester City: novos emails colocam dúvidas sobre decisão do TAS com trocas de dinheiro que ficam por explicar

A revista alemã “Der Spiegel” publicou uma nova “fuga” de emails relacionados com o Manchester City e com patrocínios passados de empresas estatais de Abu Dhabi.

Tribuna Expresso

Jason Cairnduff

Partilhar

Na reportagem, a publicação alemã coloca dúvidas sobre o julgamento que inverteu o castigo imposto pela UEFA ao clube inglês. Num desses emails, um diretor do City, Simon Pearce, ao mesmo tempo executivo de uma autoridade do governo de Abu Dhabi, dizia que estava a “expedir” 91 milhões de libras dos 99 que a Etihad, linhas aéreas que patrocinam o clube, devia ao City pelo patrocínio, com a Etihad a pagar apenas 8 milhões.

O clube recusou comentar os novos emails, mantendo o que o clube tem dito desde as primeiras “fugas” de 2018: que acesso ao seu correio eletrónico foi feito de forma “criminosa”. A fonte da “Der Spiegel” é Rui Pinto, que nega ter obtido os emails de forma criminosa.

A publicação alemã divulgou a nova informação dois dias depois de o Tribunal Arbitral de Desporto [TAS] ter publicado o relatório completo que detalha o julgamento e as razões para não ter suspendido o Manchester City das competições europeias, tendo optado por uma multa de 10 milhões de euros. O valor a pagar pelos Citizens terá em grande parte a ver com a falta de cooperação e a obstrução à investigação da parte dos ingleses.

Um dos novos emails foi enviado por Pearce em dezembro de 2013 a Peter Baumgartner, então diretor comercial da Etihad, com o assunto “pagamentos”. No email Pearce dizia que a Etihad devia ao City 31,5 milhões de libras pela época 2012/13 e 67,5 milhões pela temporada seguinte, um total de 99 milhões. “Devemos receber um total de 99 milhões, dos quais vocês pagam 8 milhões,” escreveu.

Noutro email, Pearce demonstra claramente que está a pagar ao patrocinador do clube, em vez do contrário. O Manchester City, ao não comentar os novos dados, deixa por explicar por que razão o seu funcionário estaria a pagar 91 milhões de libras ao diretor comercial da Etihad.

O clube de Manchester emitiu um comunicado, em que afirma: “A questões e problemas levantados pela “Der Spiegel” parecem ser uma tentativa cínica de publicamente minar um caso que foi completamente adjudicado, depois de procedimentos detalhados e um processo rigoroso, pelo TAS. A política do Manchester City continua a ser não comentar materiais fora do contexto que foram obtidos criminosamente dos funcionários do City Football Group e do Manchester City”.