Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Nenad Bjelica: “Pagar 126 milhões por João Félix e 30 por Dani Olmo, nunca vi nada tão absurdo”

O antigo treinador do Dínamo de Zagreb e ex-jogador de várias equipas espanholas não percebe como o Atlético contratou o português em vez de Olmo, espanhol que despontou em Zagreb e que foi um dos obreiros da vitória do Leipzig em Lisboa.

Tribuna Expresso

Manu Fernandez

Partilhar

Nenad Bjelica foi treinador do Dínamo de Zagreb e, antes disso, jogou em equipas como Albacete, Bétis ou Las Palmas. O croata mostrou-se estupefacto com a opção do Atlético de Madrid pelo jovem internacional português, quando poderia ter contratado Dani Olmo, de 22 anos, oriundo da “cantera” do Barcelona, que despontou em Zagreb e está agora no RB Leipzig, que eliminou os Colchoneros na Liga dos Campeões.

“Dani Olmo é um jogador de primeiro nível e alguém que trabalha duro, com paciência e constância. Parece-me estranho e inaceitável que nenhum clube espanhol tenha tentado contratá-lo. Sobretudo conhecendo-lhe as qualidades e o preço entre 20 e 25 milhões de euros,” explicou Bjelica em declarações ao “Sporske Novosti”.

“Mesmo antes de João Félix chegar ao Atlético de Madrid, quando Olmo estava no Dínamo, eu dizia que este era uma opção muito melhor para qualquer treinador do que João,” insistiu o antigo internacional croata, que prossegue: “Não é que João Félix seja mau jogador, de todo. É muito bom, mas mostra problemas defensivos. Pelo contrário, Olmo joga bem à defesa, assim como em qualquer outro aspeto do jogo”.

“Que os clubes espanhóis não reconheçam o talento de Dani Olmo é uma grande surpresa e uma desilusão. Depois de tudo o que fez, que nenhum clube espanhol pague 30 milhões por ele, não posso acreditar. Sobretudo quando sabemos que o Atlético pagou 126 milhões por João Félix. Dani Olmo é melhor que João Félix, para além de ser 90 milhões de euros mais barato e melhor para qualquer treinador do que o português, que apenas pode jogar como segundo avançado. (…) Já vi tudo no futebol, mas nunca tinha visto um absurdo assim,” disse Bjelica.