Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Messi indeciso: fica no Barcelona ou vai para o PSG ou para o Manchester City?

O astro argentino não está a conseguir lidar com a crise do Barcelona e pondera abandonar o barco para se juntar a outros, mais preparados para ganhar títulos no imediato

Tribuna Expresso

Francesco Pecoraro

Partilhar

O Barcelona está a viver a maior crise dos últimos anos. O clube catalão sofreu a maior goleada da sua história frente ao Bayern Munique, que levou à revolta de adeptos e jogadores e à saída do treinador, Quique Setién. Koeman será, provavelmente o sucessor, enquanto Abidal, até agora diretor desportivo, decidiu sair.

Mas o maior símbolo do clube não é treinador nem dirigente. Todos viram as imagens de Leo Messi abatido no balneário ao intervalo do jogo com o Bayern e também no fim do jogo, como é óbvio.

Segundo o jornal “Marca”, Messi está a pensar seriamente no seu futuro. Não é a primeira vez que uma derrota dolorosa provoca no argentino um período de reflexão. Aconteceu-lhe no Barcelona e na seleção argentina. O astro da equipa está a seguir atentamente tudo o que está a acontecer no clube. O seu contrato dura até junho de 2021.

Neste momento, segundo o diário espanhol, Messi enfrenta alguns cenários prováveis. Um deles é a saída imediata. O argentino está consciente do momento que a equipa vive e de que é precisa uma revolução. E esse tipo de coisas não dá títulos imediatos. O processo é longo e Messi tem 33 anos e quer tanto os prémios individuais quanto os coletivos. Sem os segundos, dificilmente conseguirá os primeiros. Há duas equipas que o receberiam de braços abertos e que estão prontas para ganhar títulos: o PSG e o Manchester City.

A equipa francesa tem Neymar, grande amigo do argentino e com quem gostaria de jogar novamente. De facto, Messi não se cansou de repetir ao presidente do Barcelona que o clube precisava do brasileiro para desequilibrar. Os dois juntos e ainda Mbappé formariam um trio de ataque de sonho.

O City também tem os seus argumentos. O principal está no banco e chama-se Pep Guardiola. Os melhores momentos da carreira de Messi foram vividos com Guardiola como treinador. E no plantel do City está também outro dos seus melhores amigos, Kun Agüero.

O Inter de Milão também foi falado como hipótese para Messi, mas a ida para Itália não parece seduzir o jogador argentino, pelo que este cenário é menos provável. Outras duas hipóteses serão cumprir o contrato e sair em junho do próximo ano ou renovar por dois anos. Será muito importante a sua conversa com Koeman, que considera Messi fundamental no Barcelona que quer construir.