Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Novak Djokovic acusa os média de “caça às bruxas” e não está arrependido de ter organizado o Adria Tour. Até o repetiria

O número um do ranking ATP é conhecido pela sua posição anti-vacinação e foi duramente criticado pela decisão de organizar um evento na Sérvia e na Croácia, em junho. Vários participantes acabaram por testar positivo à Covid-19

Tribuna Expresso

ANDREJ CUKIC

Partilhar

No Adria Tour, de Novak Djokovic, os jogadores não eram obrigados a manter o distanciamento social e foram filmados a jogar basquetebol e a dançar juntos no palco de uma discoteca. Djokovic, que está agora a preparar-se para o Open dos EUA, que começa a 31 de agosto, foi diagnosticado com Covid-19, juntamente com a sua mulher, Jelena. Grigor Dimitrov, Borna Coric e Viktor Troicki também testaram positivo.

Djokovic criticou a postura dos média em relação ao seu evento e chegou mesmo a dizer que o faria novamente. “Não acho que tenha feito algo de mal. Lamento que as pessoas tenham sido infetadas. Se me sinto culpado por alguém que tenha sido infetado dali em diante, na Sérvia, na Croácia e na região? Claro que não. Como se pode culpar um indivíduo por tudo?”

“Tentámos fazer algo com as melhores intenções,” disse Djokovic ao “New York Times”. “Sim, houve algumas coisas que podiam ter sido feitas de forma diferente mas vou ser culpado para sempre por ter cometido um erro? Quero dizer, se é assim, eu aceito, porque é a única coisa que posso fazer… Se eu tivesse a hipótese de fazer o Adria Tour novamente, fá-lo-ia. Isto é uma caça às bruxas.”