Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Se eu sair, tu ficas? Presidente do Barcelona ofereceu a demissão caso Messi aceite ficar

Nas instalações de Camp Nou espera-se ainda que seja possível evitar a saída do futebolista argentino, que supostamente iria falhar ao arranque dos trabalhos, nomeadamente exames médicos e primeiros treinos. De acordo com o “El Mundo”, os assessores do jogador recomendaram-lhe que não falte a esses compromissos

Tribuna Expresso

Mike Egerton - EMPICS

Partilhar

É, quem sabe, a última cartada de Josep Maria Bartomeu. O presidente do Barcelona terá comunicado a Lionel Messi que, se realmente for ele o problema e a razão da saída do clube do canhoto, apresentará a demissão. Ele, e não a direção. A notícia foi avançada pela TV3 e confirmada pelo “El Mundo”.

Conta este artigo do “El Mundo” que, ao contrário do que veio a público na quinta-feira, não houve uma espécie de chantagem: foi noticiado que Messi teria de fazer uma declaração pública a dizer que ficava caso Bartomeu saísse. Não é assim. Afinal, Bartomeu estará desesperado para não ser o presidente que fica associado à saída do futebolista mais importante da história daquele emblema. No entanto, diz o mesmo diário espanhol, Bartomeu conta completar o seu mandato. “No clube mantêm que o presidente, em nenhum momento, mudou o seu ânimo e bom humor apesar da extrema pressão social a que está submetido”, pode ler-se no artigo do “El Mundo”, que revela ainda um desabafo de uma fonte de dentro do clube: “Não há ninguém que resista melhor do que ele”.

No fundo, o clube está a tentar jogar a um jogo que obrigue Leo Messi a declarar a sua posição. Nas instalações de Camp Nou espera-se ainda que seja possível evitar a saída do futebolista argentino, que supostamente iria falhar ao arranque dos trabalhos, nomeadamente exames médicos e primeiros treinos. De acordo com o “El Mundo”, os assessores do jogador recomendaram-lhe que não falte a esses compromissos.

Na primeira oportunidade que os jornalistas tinham para ouvir Bartomeu, na apresentação de Trincão, um reforço que chega do Sp. Braga, o presidente apenas tirou a fotografia com o canhoto e desapareceu. A cerimónia continuou com outro dirigente.

Messi, que terá ignorado a proposta de Bartomeu, estará irredutível e terá mesmo já dado a mão a Pep Guardiola, o treinador do Manchester City. Há até um rumor que sugere que Messi terá dito ao treinador catalão, com quem esteve em Barcelona, que queria ganhar as duas edições da Bola de Ouro.

A oposição blaugrana vai limpando as armas: há eleições a 15 de março.