Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Bruno Fernandes: "Alcochete? É um tema que me custa falar. Mesmo em brincadeira com os amigos, às vezes há aquela boquinha… não gosto!"

Em entrevista ao diário "A Bola", o médio do Manchester United falou dos seus anos no Sporting. "Foi o clube que mais me marcou até agora", revela, apesar dos maus momentos, como foi o ataque de Alcochete

Tribuna Expresso

Alex Livesey

Partilhar

Sporting

"Depois de não sair em junho, o que me deixou um pouco triste, pelo facto de querer chegar à Premier League, essa tristeza durou um dia apenas porque no dia seguinte já estávamos a preparar a Supertaça. (…) Eu estava bem no Sporting. Não era eu a querer sair, apenas achar que estava pronto para chegar à Premier League. Poderia ter ficado que nada mudaria na minha maneira de estar e trabalhar. Foi muito importante para mim sair, mas digo sinceramente: fiquei triste por deixar o Sporting porque foi um clube que me marcou. (…) Foi o clube que mais me marcou até agora e foi o clube pelo qual criei mais carinho e afinidade"

Ataque Alcochete

"Sei que há algumas pessoas ficarão sempre sentidas pelo facto da rescisão e tenho de compreender o que sentem. (…)É algo impossível de esquecer, não só pelo que aconteceu no momento, mas por tudo o que aconteceu depois: as rescisões, as ameaças, os insultos, tudo isso. (…) Mas guardarei os momentos positivos que passei no Sporting. É um tema de que me custa falar. Mesmo em brincadeira com os amigos, às vezes há aquela boquinha… não gosto!"

Voltar ao Sporting?

"Quem sabe? Não fecho essa porta, foi um clube que marcou muito e mais do que me ter marcado a mim, marcou muito também a minha família"

Sucessor de Cristiano?

"Espero que o Cristiano ainda dure bastante anos na Seleção, porque o que sentimos, e ainda há pouco tempo num jantar com o Bernardo [Silva] e o [João] Cancelo falámos disso lá em Inglaterra, é que o jogo pode não estar bem, mas numa bola ele pode fazer golo. (…) Mas tenho de pedalar muito para poder ser comparado com o Cristiano"

Inglaterra

"Ainda hoje oiço gente a dizer 'Ah, só marca golos de pénalti'. Mas ainda há pouco tempo vi as estatísticas e, tirando os pénaltis, só o Kevin de Bruyne tem média de participação em golos maior do que a minha em Inglaterra no que diz respeito a médios. A Premier League é o primeiro foco do Manchester United, mas o objetivo é ganhar tudo onde estamos incluídos"