Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Mladenovic: “Se eu soubesse que jogar cartas com alguém que testou positivo teria estas consequências, nunca teria vindo ao US Open"

Kristina Mladenovic fala num “pesadelo” devido ao protocolo do torneio americano para a Covid-19 e diz que apenas deseja “recuperar a liberdade”. “É abominável como nos estão a tratar,” refere a francesa

Tribuna Expresso

Agence Nice Presse

Partilhar

A tenista francesa Kristina Mladenovic queixou-se de ter vivido um “pesadelo” devido ao protocolo de saúde para a Covid-19 no Open dos EUA, depois da derrota com a russa Varvava Gracheva, no jogo da segunda ronda. Mladenovic foi uma de várias atletas colocadas sob um “plano avançado de protocolo” por ter estado em contacto com o compatriota Benoît Paire, que testou positivo ao novo coronavírus e retirou-se antes do grand slam.

“Estamos a viver um pesadelo. Apenas desejo recuperar a minha liberdade,” disse Mladenovic, número 44 do ranking WTA. “Temos de lutar para termos a nossa liberdade e mesmo isso ainda não temos,” disse a francesa.

Os protocolos da United States Tennis Association obrigam a que as jogadoras em contacto com Paire sejam testadas à Covid-19 diariamente e não apenas uma vez de quatro em quatro dias e também que estejam confinadas aos quartos de hotel. Mladenovic, que juntamente com Timea Babos, é a mais bem classificada do ranking de pares, disse que se sente “numa bolha dentro de uma bolha”.

A tenista francesa referiu a pressão do protocolo para justificar parcialmente o mau resultado frente a uma jogadora claramente menos cotada, mas não quis desculpar-se. “Aos 5-2, colapsei. Não tenho mais a dizer. Estou completamente devastada,” disse. “É absolutamente abominável como nos estão a tratar mas não quero que isso seja uma desculpa para a minha derrota.”

Mladenovic disse que, apesar dos “30 testes negativos”, estava a ser tratada como uma prisioneira e uma criminosa. “As condições são atrozes e se eu soubesse que jogar cartas durante 40 minutos com um jogador que testou positivo e depois negativo teria estas consequências, nunca teria posto os pés neste torneio,” afirmou a tenista francesa.