Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Lutador iraniano foi condenado à morte por participar em protestos contra o governo. Apoiantes dizem que a execução está próxima

Navid Afkari foi preso depois de se ter manifestado há dois anos, na cidade de Shiraz. Várias organizações internacionais tentam impedir a execução e argumentam que o atleta está a ser usado como exemplo devido à popularidade da luta livre no Irão

Tribuna Expresso

STR

Partilhar

Um lutador iraniano acusado de crime depois de ter participado em protestos anti-governo há dois anos pode ser executado em breve. Vários grupos internacionais têm intensificado uma campanha pelo perdão ao atleta. “Estamos mesmo na reta final,” afirmou na terça-feira Brendan Schwab, diretor executivo da World Players Association, que representa 85.000 atletas profissionais.

As acusações de que é alvo Navid Afkari, de 27 anos, provocaram dúvidas no Irão e globalmente, com muitos críticos do governo de Teerão a dizer que o atleta está a ser usado como exemplo para calar os opositores. Numa cassete enviada da prisão, Afkari diz que foi torturado até confessar o crime que não cometeu.

As autoridades acusam Afkari de ter esfaqueado um trabalhador do serviço de águas no meio da revolta nas ruas da sua cidade-natal, Shiraz, um centro de protestos antigovernamentais em 2018. Foi condenado a duas penas de morte.

Vários sinais do governo indiciam que a execução pode estar próxima. “A última coisa que ouvi da mãe de Navid foi que a comunicação tinha sido cortada,” disse Sally Roberts, antiga lutadora olímpica que ajudou a trazer o caso a público. “Mudaram-no para uma área inacessível,” acrescentou Roberts.

Hadi Ghaemi, diretor executivo do Centro para os Direitos Humanos no Irão, disse que o governo nem sempre anuncia quando as execuções estão prestes a acontecer. “Há um mês, dois prisioneiros políticos foram mortos silenciosamente e as suas famílias só foram informadas depois,” disse Ghaemi.

Afkari não era conhecido antes de ser preso, mesmo no seu próprio país. Como jovem lutador, tinha ganho alguma fama em Shiraz, mas a sua história é a de um herói local transformado em causa internacional. E há também a questão da modalidade, extremamente popular no Irão. “A luta livre é como o basebol nos Estados Unidos,” disse Ghaemi. Isso explica a importância de Afkari para o governo e o seu valor enquanto exemplo, dizem os seus apoiantes.