Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Mourinho consegue ‘matar’ jogadores. Dele Alli pode ser o seu novo alvo,” diz ex-jogador

A relação entre Dele Alli e José Mourinho deteriorou-se antes da derrota do fim de semana passado ante o Everton. Quem o diz é o ex-internacional inglês Gabriel Agbonlahor, que acrescenta a hipótese de Dele Alli se mudar para Madrid

Tribuna Expresso

Visionhaus

Partilhar

O internacional inglês foi substituído por Mourinho ao intervalo, no domingo passado. Agbonlahor afirmou no programa de televisão “talkSPORT”, na terça-feira, que Alli teve um desentendimento com o treinador português na preparação do primeiro jogo da Premier League. “Sinto que ele precisa de um número 10 porque ouvi de uma fonte segura que Dele Alli e Mourinho tiveram um desentendimento,” disse o antigo jogador do Aston Villa.

No dia seguinte, no mesmo programa, Agbonlahor acrescentou: “Já vimos isso tantas vezes com José Mourinho, ele consegue ‘matar’ jogadores. Fê-lo em todos os clubes por onde passou. No Man United, tentou fazê-lo com Pogba e Shaw. Sinto que o Dele Alli pode ser o seu novo alvo. Viste o que ele fez ao Danny Rose, que foi vergonhoso, e ele ainda é o melhor defesa esquerdo dos Spurs”.

Agbonlahor continuou: “Com Dele Alli, sinto que algo se passou entre eles. Do que ouvi, ele nem era para jogar de início com o Everton. (…) Tirá-lo ao intervalo foi algo insultuoso. (…) Ele dar-se-ia melhor no Real Madrid do que nos Spurs”.

A possibilidade de Alli rumar à capital espanhola estará em cima da mesa, se Bale regressar ao clube que o projetou para o futebol mundial. De acordo com o “Daily Mail”, o presidente do Tottenham, Daniel Levy, tem mantido conversações com o Real Madrid para garantir uma “pole position” em relação ao Manchester United, cujo interesse no galês é conhecido.

Quanto a Alli, é verdade que tem tido dificuldades em convencer Mourinho desde que este pegou nos Spurs. No documentário da Amazon sobre o clube londrino, pode ouvir-se o português a dizer que Dele Alli “não treina bem” e é “preguiçoso”. Em “All of Nothing”, fala-se também do lado “festivo” do internacional inglês.