Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Equipa alemã sacrifica futebol pela distância social e acaba jogo com derrota - por 37-0

Apenas sete jogadores alinharam pelo SG Ripdorf/Molzen II por saberem que os adversários do SV Holdenstedt II tinham estado em contacto com pessoas infetadas pelo novo coronavírus

Tribuna Expresso

Partilhar

A equipa amadora do SG Ripdorf/Molzen II sacrificou a defesa pelo distanciamento social, levando a jogo apenas sete jogadores, por precaução. No final, o SV Holdenstedt II venceu por 37-0.

A preparação para o jogo de domingo a contar para a 11ª divisão do futebol alemão foi complicada quando se soube que os jogadores do Holdenstedt tinham estado em contacto com pessoas infetadas com Covid-19, no jogo anterior. Apesar de todos os membros do Holdenstedt terem mais tarde testado negativo, o Ripdorf, de Uelzen, na Baixa Saxónia, não sentiu que as condições fossem seguras e convocou apenas sete jogadores, o mínimo exigido para que um jogo se realize.

“Estamos gratos que esses sete jogadores se voluntariaram, de outra forma o clube teria sido multado em 200 euros por não-comparência. Isso é muito dinheiro para nós, especialmente no meio da pandemia,” disse à ESPN Patric Ristow, presidente do clube.

O Holdenstedt é que não esteve para brincadeiras e marcou um golo a cada dois minutos, enquanto os adversários observavam à distância. “Quando o jogo começou, um dos nossos jogadores passou a bola ao adversário e a nossa equipa encaminhou-se para as linhas laterais,” conta Ristow.

“Os jogadores do Holdenstedt não compreenderam. Mas nós não quisemos arriscar. Durante o resto do jogo, os nossos jogadores regressaram ao relvado mas limitaram-se a estar lá,” explicou o presidente do Ripdorf.

Apesar de serem agora alvo de paródia nas redes sociais, os dirigentes do Ripdorf mantêm que fizeram o que podiam, dadas as circunstâncias. “Não há soluções perfeitas. E nós escolhemos esta via e não desejamos qualquer mal ao Holdenstedt,” concluiu Ristow.