Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Insólito. Polícia investiga Luis Suárez, pois alguém lhe terá passado as perguntas do exame para obter o passaporte italiano

O jogador uruguaio terá acordado previamente as questões da prova de língua italiana, fundamental para obtenção de cidadania em Itália. As autoridades estão a investigar os funcionários públicos responsáveis pelo processo

Tribuna Expresso

Lucas Uebel

Partilhar

Depois de o Barcelona não ter autorizado a ida de Luis Suárez para o Atlético de Madrid, o uruguaio tem agora um novo problema. A polícia de Itália abriu uma investigação por considerar que foram filtradas as perguntas do exame a que Suárez se submeteu a semana passada para obter o passaporte italiano.

O jornal “La Gazzetta” revelou algumas frases gravadas pelos agentes policiais responsáveis pela investigação: “Ganha 10 milhões, tem de passar o exame”; “mas se não consegue conjugar os verbos e apenas conhece o infinitivo”; “preparámo-lo bem, está a memorizar parte do exame”, dizem os agentes.

O documento oficial da polícia, a que o jornal espanhol “Marca” teve acesso, é claro: “Surgiram irregularidades na prova de certificação da língua italiana, realizada a 17 de setembro, do futebolista uruguaio Luis Alberto Suárez Diaz, necessária para a obtenção da cidadania italiana”.

Os responsáveis acreditam que o jogador sabia de antemão as perguntas e que teria inclusivamente o documento aprovado antes de realizar a prova. “Das atividades investigadas, depreende-se que os temas abordados no exame foram previamente acordados com o candidato e que a pontuação relativa foi-lhe atribuída antes da realização do mesmo, apesar de se ter verificado, durante as lições à distância dadas pelos docentes da universidade, um conhecimento elementar da língua italiana,” explica a polícia.

Os responsáveis pela investigação estão agora a compilar informação sobre o caso. “A Guardia di Finanza está a proceder a aquisições documentais nos escritórios da universidade, destinadas a confirmar a conduta descrita anteriormente, assim com a notificação de informação de garantia pelos delitos de divulgação de segredo profissional e falsificação cometidos pelo funcionário público.”