Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Eles estão a tentar parar-me, não estão?”: Hamilton acha que está a ser perseguido

Não é a primeira vez que o britânico se queixa de que a FIA está a tentar abrandá-lo e à Mercedes para tornar a Fórmula 1 mais competitiva

Tribuna Expresso

Robert Cianflone

Partilhar

Lewis Hamilton acredita que ele e a equipa Mercedes estão a ser perseguidos injustamente devido ao sucesso que têm conseguido na Fórmula 1. No Grande Prémio da Rússia, o campeão do mundo sofreu duas penalizações e acabou em terceiro, atrás do companheiro de equipa Valtteri Bottas e de Max Verstappen, da Red Bull. Após a corrida, Hamilton disse que as penalizações tinham sido uma tentativa de o parar.

Hamilton tem dominado a Fórmula 1, sagrando-se campeão do mundo em cinco dos últimos seis mundiais, sendo que a Mercedes exerce o seu domínio desde 2014, com vitórias todos os anos desde então. Em Sochi, Hamilton foi penalizado duas vezes em cinco segundos por ter feito um teste de partida a caminho da grelha mas fora da área designada.

Tanto a equipa como o piloto consideraram não estar a violar as regras. “Tenho a certeza de que nunca ninguém sofreu uma penalização de cinco segundos antes por algo tão ridículo,” disse Hamilton. Sobre a possível excessividade do castigo, Hamilton disse: “Claro que é. Mas já era de esperar. Eles estão a tentar parar-me, não estão?”.

A FIA alterou recentemente as regras relativamente aos modos de motorização na qualificação, o que foi visto por alguns como mais uma tentativa de abrandar a Mercedes e a sua vantagem sobre as outras equipas. Hamilton considera a atitude parte de um esforço para acabar com o seu domínio.

“Sempre que uma equipa está na frente, fica debaixo de escrutínio. Tudo o que temos no carro é triplamente verificado, estão a mudar as regras, como as regulamentações do motor e outras coisas para manter a corrida excitante, acho. Não sei se as regras em termos do que aconteceu hoje têm algo a ver com isso mas é o que me faz sentir. Parece que estás a remar contra a maré mas está bem. Não é como se eu não tivesse enfrentado adversidades antes.”

O piloto britânico foi inicialmente castigado com dois pontos de penalização pelos oficiais de pista. Se recebesse outros dois nas próximas quatro corridas, ficaria de fora na corrida seguinte. Mas os pontos foram substituídos por uma multa de 25.000 euros que a Mercedes terá de pagar, uma vez que foi a equipa que instruiu o piloto para não fazer os testes de partida na área designada.

Apesar disso, Hamilton parecia convencido de que as suas ações iriam provavelmente ser sancionadas. “Vamos ver o livro das regras e destacar as áreas em que eles podem criar regras, áreas em que as penalizações nunca foram dadas antes,” disse. “Vamos tentar proteger-nos. Só tenho de ter a certeza de que não lhes dou razões para eles fazerem seja o que for.”