Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Não gosto de van Gaal, é uma das piores pessoas com quem trabalhei. No primeiro dia não falou comigo, o segundo mandou-me embora”

O antigo defesa dos Red Devils Rafael da Silva não poupa nas críticas ao treinador holandês, que “não gosta de brasileiros”. “Ele só pensava nele próprio”

Tribuna Expresso

John Peters

Partilhar

O luso-brasileiro Rafael da Silva passou pelo Manchester United e foi treinado por Louis van Gaal, que considera “um dos piores treinadores com quem trabalhou”. Van Gaal chegou ao United como sucessor de David Moyes mas Rafael, que diz não ter nada contra Moyes, cedo se apercebeu de que não teria futuro sob o comando do holandês. “Eu digo mal de algumas pessoas, como van Gaal. Não gosto de van Gaal,” disse ao “The Athletic”.

“Quando disseram que van Gaal era o treinador, muitos amigos ligaram-me. Eu não podia acreditar quando me disseram que ele não gosta de brasileiros (por causa do estilo de jogo). Disseram-me ‘a primeira coisa que ele vai fazer é tirar-te da equipa’. Na realidade foi a segunda coisa, porque no primeiro dia ele não falou comigo. No segundo dia disse ‘podes ir embora’. Eu nem sequer tinha treinado quando ele disse aquilo.”

Ainda assim, Rafael disse “OK”. “Tentei lutar pelo meu lugar. Fiquei um ano com ele. Foi mesmo duro. Ele é uma das piores pessoas com quem trabalhei.” Rafael, que tinha sido três vezes campeão da Premier League com Alex Ferguson, sentiu-se desrespeitado.

O atual jogador do Istambul Basaksehir lembra como, a cada refeição da equipa principal, van Gaal interrompia para fazer um discurso. A atitude não era bem acolhida pelos jogadores e criava um ambiente “de m…” que contribuiu para a decadência das últimas épocas, segundo Rafael.

“Todos os dias, depois do pequeno-almoço, depois do almoço, ou se jantássemos juntos, ele discursava 15 minutos sobre o treino, sobre o que tinha acontecido, sobre tudo, sobre a vida,” explicou Rafael. “Sabes quando deixas de ouvir o que te estão a dizer porque falam demais? Ele queria mostrar que sabia falar. Mas era todos os dias! O tempo todo! Ele só pensava nele próprio. ‘Eu sou assim, tu respeitas-me, tu fazes como eu quero.’ É assim que ele fala. Os jogadores cansam-se disto. Não tens de estar sempre a falar.”

Depois de um ano sob o comando de van Gaal, em 2015, Rafael deixou o Manchester United e rumou a Lyon, onde ficou até ao final da época passada, quando se transferiu a custo zero para a Turquia. No plantel dos Red Devils estava também o irmão gémeo, Fábio, que saiu um ano antes para o Cardiff e joga atualmente no Nantes.