Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Atletas americanos consternados com recusa de Trump em condenar apoiantes da supremacia branca

Representantes de várias modalidades reagiram com descrença às palavras do presidente norte-americano no debate de terça-feira

Tribuna Expresso

Alex Brandon

Partilhar

A recusa de Donald Trump em condenar os defensores da supremacia branca durante o debate presidencial na passada terça-feira gerou inúmeras reações do mundo do desporto, todas elas a condenar a atitude do presidente americano.

O moderador do debate perguntou a Trump se ele condenava os movimentos de supremacia branca e a violência provocada por eles durante os recentes protestos por todo o país. Em resposta, Trump não criticou esses movimentos, preferindo culpar os grupos de esquerda pela maioria dos tumultos.

Falando particularmente de um grupo de extrema-direita chamado “Proud Boys” (“Rapazes Orgulhosos, numa tradução literal), Trump usou a expressão “stand back and stand by” (“recuem e aguardem”), que foi entretanto transformada em slogan e interpretada pelo líder do movimento como um gesto de apoio às suas ações violentas.

Stephen Curry, uma das maiores estrelas da NBA, reagiu às palavras de Trump no Twitter: “Não tenho mais perguntas, senhor juiz!”. O também basquetebolista Kyle Lowry, notou a ausência de condenação dos movimentos extremistas com: “E continua a não o dizer…”, enquanto Randall Cobb publicou: “Perguntaram-lhe sobre racismo e ele respondeu com reforço policial”.

Sobre o debate, a lenda da NFL Deion Sanders escreveu: “Este debate é a melhor sitcom do ano. Isto é comédia pura e o nível de desrespeito bate tudo”.

Para muitos atletas, o debate serviu para reforçar a necessidade de ir às urnas em novembro. “Depois de assistir à aventura que foi o debate presidencial e não sendo capaz de ouvir nada… se mais nada for possível, tenham a certeza de que são ouvidos,” escreveu a estrela da WNBA, Renee Montgomery. Por seu turno, LeBron James limitou-se a gritar o apelo “POR FAVOR VOTEM!!!” na sua conta do Twitter.