Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Antigo treinador do Manchester City condenado pela quinta vez por abusos sexuais de menores

Barry Bennell foi sentenciado a mais quatro anos por pedofilia. O caso refere-se a dois rapazes, sendo que mais de 100 vítimas admitiram ter sido abusadas pelo antigo técnico de 66 anos

Tribuna Expresso

Peter Byrne - PA Images

Partilhar

O antigo treinador de futebol e pedófilo Barry Bennell foi condenado a mais quatro anos por abusos sexuais pela quinta vez. O ex-técnico de clubes como o Manchester City e o Stoke City, também conhecido como Richard Jones, admitiu a culpa num caso de assédio e abuso sexual de dois rapazes.

As ofensas aconteceram entre 1979 e 1988, quando as vítimas tinham entre 11 e 14 anos. O tribunal ouviu aquela que deverá ser a última acusação contra Bennell, que não vai sair da prisão antes dos 80 anos. Mais de 100 vítimas aceitaram falar dos seus casos, admitindo que foram abusadas pelo pedófilo, que foi até agora condenado por crimes contra 22 rapazes.

O antigo jogador das camadas jovens do Manchester City, Gary Cliffe, que acusou Bennell e viu o agressor ser condenado por isso em 2018, disse que o sistema de justiça é “incapaz” de lidar com casos desta escala. Em declarações à porta do tribunal, Cliffe disse que estava “devastado” pelas pessoas que aceitaram falar de casos pelos quais Bennell não vai ser acusado.

O representante do Offside Trust, organismo criado por sobreviventes de abusos sexuais no desporto, disse estar “satisfeito com o facto de mais sobreviventes terem visto ser feita justiça” mas criticou a decisão de acabar com as acusações. “A decisão de não levar as outras dezenas de casos a tribunal é uma desilusão para tantos homens e para as suas famílias. Partilhamos a sua revolta, desilusão e dor”.

Bennell participou na sessão por vídeo, a partir da prisão em Cambridgeshire, onde se encontra a cumprir uma sentença de 30 anos, depois de ter sido condenado em 2018 por 52 crimes de abuso sobre 12 crianças. Algumas das vítimas foram abusadas nas suas próprias casas, outras em residências desportivas.

A primeira condenação de Bennell aconteceu na Flórida, nos Estados Unidos, em 1994, por ter violado um rapaz britânico durante uma viagem pela América. As condenações seguintes aconteceram já no Reino Unido, em 1998, 2015 e 2018.