Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Alonso já testou o Renault e fala num “novo começo”. O chefe da equipa diz que o espanhol é “um tubarão esfomeado”

O piloto espanhol conduziu o carro de 2020 em Barcelona e mostra-se entusiasmado quanto ao regresso à Fórmula 1, em 2021

Tribuna Expresso

USA TODAY USPW

Partilhar

Fernando Alonso descreveu o seu primeiro treino na Fórmula 1 desde que deixou a modalidade há dois anos como um novo começo. O bicampeão do mundo vai regressar à F1 no próximo ano com a Renault e testou com sucesso o carro de 2020 em Barcelona, na passada terça-feira.

Alonso deixou a Fórmula 1 no final de 2018 depois de três anos difíceis na McLaren. Foi com a Renault que o asturiano ganhou ambos os títulos, em 2005 e 2006, sendo por isso o regresso a um sítio onde foi feliz. A equipa francesa vai mudar de nome, passando a chamar-se Alpine, mas a estrutura será a mesma. O piloto espanhol vai substituir Daniel Ricciardo, com o australiano a mudar-se para McLaren. Na Alpine, Alonso vai ter Esteban Ocon como companheiro de equipa.

O espanhol tinha dito que apenas regressaria à Fórmula 1 se tivesse um carro competitivo e tem os olhos postos nas alterações dos regulamentos em 2022, com a expetativa de que a Alpine consiga competir com a Red Bull e a Ferrari e, acima de tudo, com a Mercedes.

Alonso mostra-se entusiasmado com o regresso. “Vai ser uma sensação fantástica, depois de dois anos sem pilotar um F1,” disse antes do teste. “Estou mesmo ansioso. Acho que vai ser um novo começo.” O piloto de 39 anos conduziu 100 quilómetros. Já no fim afirmou: “Foi fantástico (…) sentir esta velocidade novamente. Passa tudo tão depressa, as curvas, a travagem e tudo o que um F1 tem para dar. (…) A pressão era alta, o trabalho é duro, o carro tem potencial e há espaço para melhorar”.

A primeira vez que Alonso testou um Fórmula 1 foi há 20 anos, com a Benetton, a equipa que acabaria por transformar-se na Renault. No domingo passado, a equipa francesa teve a sua primeira presença no pódio desde 2011. O australiano Daniel Ricciardo terminou o Grande Prémio do Eifel em terceiro lugar e a equipa tem demonstrado uma evolução competitiva constante esta época. Já Alonso participou no Dakar e guiou um McLaren nas 500 milhas de Indianápolis.

Cyril Abiteboul, diretor da equipa Renault, já disse que não tem dúvidas em relação à vontade de Alonso de regressar à Fórmula 1. “Acho que o Fernando é como um grande tubarão. Assim que sente o sangue quer atacar. É um tubarão esfomeado.”