Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Fala-se de traição. Piqué assinou carta com Messi a criticar o presidente pela redução salarial no dia em que renovou contrato com Barcelona

Os capitães do Barcelona escreveram que não iriam “tolerar que o clube” violasse “os direitos” deles. Piqué foi um dos co-signatários da missiva, diz o “El Mundo”

Tribuna Expresso

David Ramos

Partilhar

Em semana de clássico, o Barcelona continua a viver dias difíceis na relação entre os jogadores e a direção. De acordo com o jornal espanhol “El Mundo”, há uma verdadeira guerra interna no clube catalão por causa da proposta de redução salarial. A última polémica está relacionada com uma carta enviada pelos capitães de equipa ao presidente e cujo conteúdo o “El Mundo” divulgou.

Na carta, assinada por Messi, Sergi Roberto, Piqué e Busquets, pode ler-se: "Não vamos tolerar que o clube viole os nossos direitos com os argumentos que apresentou, considerando que a única forma de atingir o seu objetivo é através da atuação conjunta de todos os grupos e setores do clube, reconhecendo ao mesmo tempo (…) que alguns desses grupos e setores já fizeram os ajustes salariais”.

Para o grupo de capitães, é todo o processo que está em causa. “É-nos embaraçoso que tenham escrito que os nossos direitos estão garantidos, propondo-nos a eleição de um representante numa mesa de 13 membros, para que, na realidade, a nossa capacidade dissuasiva seja nula.”

O documento - divulgado pelo 'El Mundo' e assinado por Messi, Sergi Roberto, Gerard Piqué e Sergio Busquets - classifica a intenção de Bartomeu de "constrangedora" e adverte que os jogadores "não permitirão" atentados aos seus direitos.

Curiosamente, um dos signatários do documento, Piqué, acabou por assinar um novo contrato com o clube precisamente no dia em que a carta foi enviada. Apesar da aparente união dos jogadores, o gesto de Piqué foi visto como uma espécie de traição.

  • Piqué larga Messi. O Barcelona partiu-se ao meio

    Futebol internacional

    Depois da goleada ao Ferencvarós, o clube catalão anunciou a renovação de contrato de Gerard, um dos quatro capitães de equipa que antes tinha dito rejeitar a redução salarial proposta pelo presidente. Agora, o central, que prometera aos colegas que ia lutar contra a redução salarial, acompanhou De Jong, Ter Stegen, Lenglet, que também assinaram novo acordo