Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Luís Filipe Vieira: “Se o Jorge Jesus tem dito que sim, na altura, não seria o Bruno Lage a substituir Rui Vitória”

Em semana de eleições, o presidente do Benfica deu uma entrevista ao jornal “A Bola” e explicou a escolha de Jorge Jesus

Tribuna Expresso

JOSÉ COELHO

Partilhar

A mudança de opinião em relação a Jesus

“É o contexto. Quando falei, o contexto era um, hoje é outro. A vinda do Jesus foi muito, muito pormenorizada e bem pensada.”

Vieira disse que queria Jesus em março / abril

“Não, não, disse: ‘Se houvesse uma alteração no Benfica tu serás o próximo treinador do Benfica, assim o queiras’.”

Queria Jesus em março e em junho disse que Bruno Lage seria o treinador do Benfica, independentemente de ganhar o título

“Há qualquer coisa que está mal. (…) Disse ao Jorge: ‘Se nós fizermos alguma alteração, tu serás o nosso treinador’. Aliás, deixe-me dizer, quando chamo Bruno Lage, quando ele entra, se o Jorge tem dito que sim, na altura, não seria o Bruno Lage [a substituir Rui Vitória]. Agora, quando o Bruno Lage entra já não era capaz de tirá-lo de lá. Isso acabou. O Bruno era para fazer um jogo, depois o Jorge disse que não. Era o Jorge que estava pensado, vamos ser claros nisto.”

O que as pessoas querem ouvir

“O futebol é isto. Não é por incompetência do Bruno Lage, não venham com essa teoria. O que as pessoas querem ouvir é que foi falta de profissionalismo ou falta de competência do Bruno Lage. Esqueçam isso. Acontece no futebol.”

A hegemonia do Benfica

“Nos últimos sete anos, ganhámos cinco títulos. Se não é hegemonia, não sei o que é.”

A venda de Rúben Dias

“Se tivéssemos sido apurados [para a Liga dos Campeões], de certeza que ele não teria saido assim. (…) Mas pronto, se calhar o Rúben também tinha uma expectativa.”

O que está no Seixal

“O que está no Seixal, com o colégio, chega-nos mas, se tivermos mais seis campos melhor estaremos. A prioridade será sempre o Seixal. A estratégia é o Benfica Campus.”

O poder de Vieira

“Há quem diga: ‘Ele tem um grande poder.’ Mas poder de quê? Só se é dos benfiquistas que gostam de mim. Efetivamente uma grande maioria gosta de mim, nutre algum carinho por mim.”

Reaproximação ao Sporting e ao FC Porto

“É difícil. O exemplo tem de vir de cima, da Liga e da Federação. (…) Estamos a seguir por um caminho complicado. Seríamos muito mais fortes unidos.”

O Benfica vai a eleições na próxima quarta-feira e Luís Filipe Vieira é um dos candidatos, ao lado de João Noronha Lopes, Rui Gomes da Silva e Luís Miguel David.