Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Bluff? Hamilton está pronto para se focar “na família e esse tipo de coisas” e pondera deixar a Fórmula 1

O recordista de vitórias em grandes prémios tem adiado a assinatura de novo contrato com a Mercedes e há dúvidas sobre a sua continuidade na equipa germânica e na F1

Tribuna Expresso

Dan Istitene - Formula 1

Partilhar

Lewis Hamilton está a considerar seriamente terminar a carreira na Fórmula 1 no final da temporada. O campeão do mundo falou disso depois da vitória no Grande Prémio de Emilia Romagna, em Imola, no último domingo. Depois de bater o recorde de vitórias que pertencia a Michael Schumacher, Hamilton disse que, aos 35 anos, está pronto para se focar “na família e esse tipo de coisas”.

A vitória em Imola foi a nona da época para Hamilton e aproximou-o ainda mais de outro recorde de Schumacher: os sete títulos mundiais. O triunfo ajudou também a consolidar o estatuto da equipa Mercedes como dominadora da F1, garantindo desde já o sétimo título consecutivo de construtores.

Apesar do sucesso da parceria entre Hamilton e a marca alemã, a verdade é que o britânico ainda não assinou novo contrato com a equipa. A somar a isso, Toto Wolff, diretor da equipa, confirmou no domingo que, apesar de continuar na Mercedes, planeia deixar a posição atual. Tanto Hamilton como Wolff chegaram à equipa em 2013 e o britânico foi duro quanto ao efeito que a eventual saída do chefe de equipa poderia ter na sua decisão.

“Eu nem sei se vou estar aqui no próximo ano, isso não é uma preocupação para mim,” disse Hamilton. “Temos muitas conversas profundas, eu e o Toto, por isso sei bem como ele está. E partilhamos muito e carregamos muitos pesos juntos. Eu estou por aqui há muito tempo, consigo perceber perfeitamente que se queira abrandar um pouco e dar mais tempo à família e a essas coisas.”

Esta é a 14ª época na Fórmula 1 para Hamilton. O inglês tem sugerido regularmente que assinar um novo contrato com a Mercedes é uma formalidade, uma questão de encontrar tempo para aperfeiçoar detalhes. Ainda assim, nenhum contrato foi assinado.

“Bem, estamos em novembro e o Natal não está longe,” disse Hamilton. “Eu sinto-me ótimo, continuo a sentir-me muito forte, sinto que posso continuar por muitos meses. (…) Eu gostaria de estar por aqui no próximo ano, mas não posso garantir.”

Wolf admitiu que, como as coisas estão, não pode garantir que Hamilton se mantenha na F1, apesar de estar otimista em relação a isso. “Nada é seguro,” disse. “Pode acontecer que, como o Niki Lauda nos anos 70, acordes uma manhã numa pista e digas: ‘Já não me estou a divertir’. Acho que pode acontecer a qualquer um. Mas nós queremos continuar esta viagem, ainda não a acabámos.”