Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Ele precisa de ajuda”. Maradona foi hospitalizado poucos dias depois de fazer 60 anos.

O antigo astro do futebol tem um historial clínico complicado, em grande parte devido ao uso de drogas e ao alcoolismo. Não foram revelados os problemas que levaram ao internamento, mas o médico pessoal do argentino, Leopoldo Luque, diz que não aparenta ser nada de grave

Tribuna Expresso

Marcos Brindicci

Partilhar

Diego Maradona foi hospitalizado na Argentina com “problemas de saúde” não revelados. Leopoldo Luque, o seu médico pessoal adiantou que não se trata de Covid19 e que o problema não aparenta ser grave. Maradona, de 60 anos feitos há poucos dias, está numa clínica perto das instalações do clube que treina atualmente, o Gimnasia y Esgrima.

Segundo o médico, Maradona andava a sentir-se em baixo há já algum tempo e vai ficar sob observação durante pelo menos três dias. “Ele não está bem psicologicamente e isso tem impacto no seu bem-estar físico,” disse o médico. “Ele precisa de ajuda e esta é a altura de fazê-lo.”

“Diego é uma pessoa que por vezes está em excelente forma, noutras ocasiões nem tanto. Ele poderia estar dez mil vezes melhor. E trazê-lo para aqui ajuda-o,” observou o clínico, que acrescentou: “É muito difícil ser Maradona”.

O antigo jogador do Nápoles apareceu em público na última sexta-feira, dia do seu aniversário, antes do jogo da sua equipa com o Patronato. Foi-lhe oferecida uma placa comemorativa e um bolo para celebrar mas Maradona não ficou para ver o jogo e testemunhas dizem que ele não parecia bem.

O astro argentino tem passado vários períodos no hospital ao longo dos anos, muitas vezes devido ao estilo de vida extravagante que acompanhou a sua carreira enquanto futebolista. Em janeiro de 2019, Maradona foi internado com uma hemorragia interna no estômago.

Em 2018, durante o jogo entre a Argentina e a Nigéria, a contar para o Mundial da Rússia, Maradona desmaiou. Antes disso, em 2004, o argentino foi hospitalizado com problemas cardíacos e respiratórios associados ao consumo de cocaína. Em 2007, Maradona recorreu voluntariamente aos serviços de uma clínica de Buenos Aires por causa de problemas com o álcool.