Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Rooney quis ir para o Barcelona em 2010. “Teria encaixado na perfeição entre Messi, Xavi e Iniesta”

O avançado inglês revelou que esteve muito perto de trocar o Manchester United por um clube espanhol, muito provavelmente o Barcelona

Tribuna Expresso

Tom Jenkins

Partilhar

Numa altura em que a carreira de Rooney parecia estar a iniciar uma fase descendente, o avançado recordista de golos pelo Manchester United chegou a pedir à direção dos Red Devils que o deixasse sair. Estávamos em 2010 e morava em Barcelona um treinador chamado Pep Guardiola.

Wayne Rooney admite que, durante uns dias, estudou a formação do Barcelona de então para ver como poderia encaixar. “Na minha cabeça, na altura, I estava pronto para sair e jogar em Espanha,” contou Rooney ao podcast do Manchester United. “Idealmente, eu gostaria de ter ido para Barcelona, mas o mais provável seria o Real Madrid.”

“Eu lembro-me de me sentar durante um dia a pensar como se seria jogar naquela equipa do Barcelona, com Messi, Xavi, Iniesta ou Busquets. (…) Eu pensava que encaixaria na perfeição,” conta o internacional inglês, admitindo que também da Premier League havia interessados na sua contratação. “Penso que está bem documentado que o Chelsea e Mourinho também me queriam,” diz Rooney. Talvez a hipótese mais controversa fosse o Manchester City, eterno rival do United.

Apesar de todas as hipóteses, Rooney decidiu ficar em Old Trafford, assinou um novo contrato de cinco anos e acabou por ficar até 2017. O inglês diz que Alex Ferguson teve uma grande influência sobre a sua decisão. “Foram a sua crença e o seu apoio que me convenceram a ficar.”

Nas últimas semanas, Rooney tem falado da sua relação com Ferguson e de como, apesar de todo o sucesso que alcançaram juntos, ficou desapontado com a forma como o lendário treinador encarou as finais de 2009 e 2011 da Liga dos Campeões. “Perdemos duas finais com o Barcelona de Guardiola tentando fazer pressão alta, o que foi suicida.” Apesar disso, Rooney tem sido efusivo nos elogios a Alex Ferguson.