Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

UEFA anuncia uma “investigação rigorosa" às palavras racistas do quarto árbitro que chocaram o mundo do futebol

A atitude do quarto árbitro do jogo entre o PSG e o Istambul Basaksehir originou a condenação por parte de várias entidades, entre as quais o próprio presidente turco

Tribuna Expresso

Xavier Laine

Partilhar

Após o incidente racista, no jogo de terça-feira, que chocou grande parte do mundo do futebol, a UEFA anunciou uma “investigação rigorosa” à atitude do quarto árbitro. As palavras do romeno Sebastian Coltescu chocaram de tal forma os jogadores do Istambul Basaksehir e do Paris Saint-Germain, que ambas as equipas abandonaram o relvado ao minuto 23 da partida.

O jogo foi imediatamente suspenso e apesar de ter sido feito uma tentativa para reatar a partida com um novo quarto árbitro, a intenção acabou por não passar disso mesmo, porque os jogadores de Istambul recusaram-se a regressar ao relvado. Em vez disso, os minutos que faltam serão jogados às 17:55 desta quarta-feira.

O protesto aconteceu depois de o adjunto camaronês do Basaksehir, Pierre Webo, ter visto o cartão vermelho por protestar contra uma decisão do árbitro. Segundo a Agência Reuters, as palavras do quarto árbitro terão sido “O negro ali ao fundo. Investiga quem ele é. O negro ali ao fundo, não é possível agir assim.”

Demba Ba, avançado do Basaksehir, também camaronês, confrontou o quarto árbitro antes de sair de campo em protesto: “Vocês nunca dizem ‘este tipo branco’. (…) Quando se referem a alguém negro, porque é que têm de dizer ‘esse negro’?”.

Para além da solidariedade imediata dos jogadores do PSG para com os adversários, várias outras mensagens de apoio foram chegando. O próprio presidente turco, Tayyip Erdogan, fez uma publicação no Twitter na terça-feira à noite: “Somo incondicionalmente contra o racismo e discriminação no desporto e em todas as áreas da vida”.

Também a imprensa internacional se manifestou contra o comportamento do quarto árbitro. O espanhol “As” não deixa dúvidas quanto à sua posição e diz “stop ao racismo”. O alemão “Bild” refere que houve um “escândalo em Paris”. O jornal italiano “Gazzetta dello Sport” refere-se diretamente a Sebastian Coltescu, chamando-lhe “árbitro racista”.