Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Germán Burgos, ex-adjunto de Simeone, lamenta: “Enviei-lhe mensagem depois do jogo com o Real mas ele não me respondeu”

Germán Burgos conheceram-se como futebolistas no Atlético de Madrid e na seleção argentina. Entretanto, passaram 10 anos a trabalhar juntos como técnicos. A saída de Burgos, em junho, quebrou os laços e, pelos vistos, Diego Simeone levou a coisa a sério, não atendendo as chamadas do amigo

Tribuna Expresso

Soccrates Images

Partilhar

Eram inseparáveis no que ao futebol diz respeito mas, em junho deste ano, a relação entre o treinador Diego Simeone e o adjunto Germán Burgos chegou ao fim. Um desfecho igual a tantos outros de tantas histórias. A questão é que, desde que deixou o Atlético, Burgos não consegue entrar em contacto com o amigo de longa data.

“Liguei-lhe quando ele esteve doente com Covid19. Temos uma amizade de muitos anos. Almocei e jantei mais vezes com ele do que com a minha família. Estivemos juntos oito anos na seleção argentina e cinco no Atlético Madrid como jogadores e dez como treinadores. Os amigos falam quando acontece algo ao outro,” disse Burgos, em entrevista concedida à Radio Marca, citada pelo jornal “A Bola”.

“Parece que ele mudou o número de telefone, mas vou conseguir o novo. (…) Enviei-lhe mensagem depois do jogo com o Real Madrid, mas ele não me respondeu,” desabafa Germán Burgos.