Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Liguei a Jesus para dizer que queria um adversário mais vivo. Não atendeu, pensei que estivesse na azia. Depois, devolveu a chamada”

Em entrevista ao jornal “Record”, o treinador do FC Porto falou de Jorge Jesus e da reação inesperada de Luisão no jogo da Supertaça

Tribuna Expresso

Os treinadores em abril de 2018, por ocasião de um Sporting-FC Porto

Gualter Fatia/Getty

Partilhar

Sérgio Conceição não teve problemas em falar do “jogo falado” de Jorge Jesus e da atitude de Luisão no banco do Benfica. Sobre o comportamento do antigo capitão do Benfica, que se dirigiu ao grupo de forma bastante agressiva, Conceição começou por dizer: “Tenho muito respeito pelo Luisão, pelo Rui Costa, por estes ex-jogadores que dão o seu contributo às equipas”. No entanto, depressa percebemos que o técnico não concorda com a forma como Luisão se dirigiu aos jogadores benfiquistas no fim do jogo.

“Nesta situação, neste papel de diretor, eu não gostava, não permitia a alguém que pertencesse à estrutura do futebol que se dirigisse aos jogadores, porque o líder máximo do balneário é o treinador. Acho com sinceridade, com todo o respeito pelo Luisão, e não sei que palavras é que ele dirigiu, não faço a mínima ideia. A mim foi perguntado se gostava, e não só não gostava como não acho que seja correto.”

Já sobre Jorge Jesus, o treinador do FC Porto comentou a mensagem do rival no início da época, quando disse que ia “arrasar”. “Isso faz parte do jogo falado que o Jorge Jesus tanto gosta de mencionar. Muitas das coisas que o Jorge Jesus diz não têm intenção de ferir alguém ou de minimizar os outros treinadores, acho que não é por aí. Ele não tem esse feitio, é um excelente treinador, passou o último período da vida dele com sucessos importantes para a sua carreira e chegou a Portugal com plena convicção de que iria ser uma mais-valia. Acho que tem de ser assim.”

Sérgio Conceição desvaloriza a dureza da comunicação de Jesus: “A forma como o Jorge Jesus comunica todos conhecemos e muito daquilo que ele diz tem de ser visto com o que é o Jorge Jesus como pessoa. Como treinador não resta a menor dúvida de que é um dos melhores treinadores portugueses e que vai ser um dos melhores treinadores portugueses de sempre”.

Reconhecendo a boa relação mantida com o seu antigo treinador no início da carreira como jogador, Sérgio Conceição revelou: “Tive a oportunidade de falar com ele depois da Supertaça, fui eu que lhe telefonei a dizer exatamente isso, eu queria ter um Jorge Jesus adversário um bocadinho mais vivo. Ele não me atendeu e eu disse ‘este gajo não vai atender, perdeu, está com azia’, mas não. A seguir devolveu-me a chamada e tive oportunidade de lhe dizer isso e ele respondeu com uma expressão engraçada, ‘oh pá, também já me disseram isso mais vezes…’”

O treinador campeão nacional abordou ainda o mediatismo à volta do regresso de Jesus a Portugal e ao Benfica, em comparação com a celebração dos últimos títulos ganhos pelo FC Porto: “Estamos habituados a que os nossos êxitos não tenham a dimensão de outros, sem qualquer género de mentalidade provinciana ou de um contra todos, não é nada disso. Notei que à conquista da dobradinha, se calhar, não se deu a importância devida, porque houve a vinda de um treinador muito apreciado em Portugal, como é o Jorge Jesus, e muito acompanhado no Brasil, que acho de uma forma inédita, fantástica.”