Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Apesar do crime, ou por causa dele, Ronaldinho é “o homem mais feliz do mundo”. E talvez um dos mais ricos

Com Ronaldinho, no Paraguai, estava o irmão, Assis, antigo jogador do Sporting. O crime: falsificação de passaportes. 2020 tinha todas as probabilidades de ser o pior ano na vida dos dois irmãos. Mas não é só no relvado que acontecem reviravoltas inesperadas. O ano terminou com saldo positivo e “mais visibilidade para o ex-jogador,” segundo o jornal espanhol “El País”

Tribuna Expresso

NORBERTO DUARTE/Getty

Partilhar

Há nove meses, Ronaldinho Gaúcho era uma lenda do futebol caída em desgraça, chutando a bola com outros detidos. Essa realidade era acompanhada por fãs incrédulos que iam seguindo o dia-a-dia da antiga estrela do Barcelona como se de um reality show se tratasse.

Foram 171 dias longos de detenção no Paraguai. A certa altura, os dois irmãos aceitaram pagar uma multa de 1 milhão de reais para que o processo fosse suspenso. De acordo com o jornal, “ao longo do período sob custódia, a maior preocupação da dupla, além dos familiares que tinham ficado no Brasil, era de que o episódio pudesse arranhar a imagem de Ronaldinho e inviabilizar sua carreira.” Muitos terão dito que o tempo de Ronaldinho nos relvados já era coisa do passado. Sim, mas não é dessa “carreira” que se fala mas sim como “garoto propaganda” como se diz no Brasil. O ex-futebolista era agora uma figura cuja aparição vende coisas.

Os receios não foram confirmados e, quatro meses depois de deixar a prisão, o mais famoso dos dois irmãos, já tinha faturado cinco milhões de reais em participações e campanhas publicitárias. No primeiro mês em liberdade, Ronaldinho esteve em Belo Horizonte ao serviço de uma seguradora mineira para o lançamento do novo estádio do Atlético, clube que o jogador representou, tendo mesmo conquistado a Taça Libertadores, em 2013.

Numa outra aparição publicitária, Ronaldinho Gaúcho testou positivo à Covid19. A presença de crianças obrigou ao adiamento do evento para novembro. Em Belo Horizonte, o antigo craque abriu um estúdio de música e gravou com vários artistas brasileiros. Num dos vídeos, Ronaldinho surge rodeado de bebidas e acompanhado de várias mulheres. Em menos de uma semana, o clipe acumulou mais de um milhão de visualizações no YouTube. Ao mesmo tempo, o ex-futebolista lançou a sua marca de gim biológico, uma adição à já existente linha de bebidas de Ronaldinho.

O antigo internacional brasileiro encontrou-se com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro mas, até agora, tem-se mantido afastado da política. No entanto, surgiram rumores de que a sua libertação da cadeia paraguaia teve a ajuda do então ministro da Justiça, Sérgio Moro, que negou qualquer envolvimento no processo.

Para o ano que acaba de começar, Ronaldinho planeia lançar um filme sobre a sua trajetória. No teaser que já foi divulgado, o brasileiro é definido como “o homem mais feliz do mundo”. Paralelamente, aquele que chegou a ser o melhor futebolista do mundo, deixou algumas palavras aos fãs.

“Uma fase difícil chega ao fim, graças a Deus. Não tenho palavras para agradecer todo o carinho e apoio que recebi nesses últimos meses,” escreveu Ronaldinho nas redes sociais. Depois de ter feito 40 anos na prisão, longe da mãe, Miguelina, internada com Covid19, o ano do ex-craque reservou um final feliz e rentável para a família Assis Moreira.