Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

O primeiro curso sobre cibersegurança no desporto acontece em Inglaterra e 11 clubes da Premier League já se inscreveram

A preocupação das organizações desportivas com o cibercrime cresce a olhos vistos, à medida que se tornam mais frequentes os ataques de hackers, eles próprios recolhendo a métodos cada vez mais sofisticados

Tribuna Expresso

Partilhar

Entre o conjunto de inscritos para o primeiro colóquio do National Cyber Security Centre dedicado ao desporto, estão 11 clubes da Premier League e 35 equipas de outros escalões do futebol inglês.

A agência para a cibersegurança do Reino Unido vai orientar cerca de 180 representantes de clubes profissionais e de organizações ligadas ao futebol, mas também ao râguebi, cricket e outras modalidades. O objetivo é ajudar estas entidades a protegerem-se de hackers e outros ciber-criminosos.

A agência revelou que, o ano passado, o cibercrime dirigido a equipas desportivas profissionais incluiu uma tentativa de sabotar a transferência de um jogador de ou para um clube da Premier League. Também o Manchester United confirmou em novembro ter sido vítima de um ataque descrito como “uma sofisticada operação levada a cabo por ciber-criminosos organizados”.

Segundo o portal da BT, a NCSC tem encorajado organizações desportivas a implementar mais medidas de cibersegurança para impedir os criminosos de explorar uma indústria lucrativa. Calcula-se que o valor do desporto para a economia britânica andará na casa dos 37 mil milhões de libras anuais.

Sara Lyons, diretora da NCSC para a economia e sociedade, afirmou: “Sabemos que os clubes e as organizações desportivas enfrentam desafios significativos para gerir o impacto do novo coronavírus mas isso não faz com que a indústria do desporto no Reino Unido deixe de ser um alvo atraente para os ciber-criminosos e é importante que as organizações estejam cientes desta ameaça”.

O ministro para as infraestruturas digitais, Matt Warman também dedicou algumas palavras à iniciativa: “Temos um setor do desporto de classe mundial e fico satisfeito que o National Cyber Security Centre esteja a dar apoio à indústria com aconselhamento específico sobre cibersegurança”.