Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Andy Murray está infetado com Covid19 e tem a presença no Open da Austrália em risco

O tenista escocês testou positivo ao novo coronavírus e os seus planos disputar um torneio que conhece bem, em fevereiro, podem estar em causa. O atleta encontra-se isolado em sua casa, em Inglaterra

Tribuna Expresso

Fred Lee

Partilhar

O jornal inglês “Daily Mail” noticia que o bicampeão de Wimbledon, que deveria viajar no próximo fim de semana para Melbourne, teve um teste positivo. Murray, segundo o jornal, estará com sintomas ligeiros.

Um surto no National Tennis Centre, onde Andy Murray tem estado a treinar, terá sido a origem do contágio. Outro tenista britânico, Paul Jubb, também testou positivo e está agora em isolamento. Murray, que acreditava ter contraído a doença na primeira fase, na primavera de 2020, mantém a esperança de poder viajar para a Austrália e disputar o torneio que começa a 8 de fevereiro.

Andy Murray está isolado há vários dias. A organização do Open da Austrália está a tentar providenciar uma forma de contornar as rigorosas regras de quarentena para conseguir levar os tenistas e o staff para o país. No entanto, parece difícil que Murray se consiga juntar aos atletas que viajam nos charters que partem nos próximos dias do Médio Oriente e de Los Angeles.

Diz o “Daily Mail” que o escocês está desesperado para regressar ao torneio do qual foi finalista em cinco ocasiões, e onde a sua carreira parecia ter terminado há dois anos devido a uma lesão na coxa. Curiosamente, depois do Natal, Murray não participou no primeiro evento ATP da época, na Flórida, por receio de contrair Covid19 e, assim, não poder viajar para a Austrália.

O treinador de Murray confirmou o diagnóstico hoje de manhã, informando que o tenista está em casa, em Surrey, e viajará apenas quando isso for considerado seguro. Isso significa que o escocês apenas sairá do isolamento quando deixar de ser um risco para os outros.

O processo de transportar mais de 1.000 pessoas, entre jogadores e técnicos, para a Austrália, está a tornar-se extremamente complicado, com voos especiais a partir nas próximas 48 horas de Doha, Dubai e Los Angeles. Nicolas Massu, treinador do atual campeão do Open dos EUA, Dominic Thiem, também está infetado. O técnico está a tentar arranjar uma forma de chegar à Austrália depois do teste positivo.