Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Thomas Tuchel em Londres: como o novo treinador do Chelsea pode escapar à quarentena e começar já a trabalhar

O treinador alemão viaja hoje para Londres e vai conseguir escapar à quarentena e orientar já esta tarde o treino do Chelsea. Tudo graças a uma exceção nas regras da covid-19 para o desporto de elite

Tribuna Expresso

Regis Duvignau

Partilhar

Tuchel não está atualmente numa “bolha” do desporto de elite e teria de fazer pelo menos cinco dias de auto-isolamento. No entanto, depois do despedimento de Frank Lampard do comando técnico do Chelsea, com vários jogos da Premier League num período curto, os Blues consideram que precisam do alemão o mais breve possível. Ou seja, já esta terça-feira.

Quarta-feira o clube recebe o Wolverhampton de Nuno Espírito Santo e no próximo domingo defronta o Burnley. Segundo o “Daily Mail”, a federação inglesa pode aplicar exceções à regra para pessoas relacionadas com o desporto de elite, incluindo treinadores, mesmo que estes não estejam inseridos numa “bolha” desportiva.

De acordo com as regras, qualquer pessoa que viaje para o Reino Unido tem de fazer um teste ao novo coronavírus num prazo de 72 horas após a viagem e depois permanecer isolada durante 10 dias. Todavia, segundo as regras impostas pelo Governo, o viajante pode fazer um teste cinco dias depois da viagem e, no caso de o resultado ser negativo, ficar livre da quarentena.

Em comparação, pessoas ligadas ao desporto de elite podem viajar para o Reino Unido e continuar a treinar e a competir dentro da “bolha”. Segundo o “Daily Mail”, uma leitura diferente das regras permite encontrar uma falha que permite aos “agentes livres” serem considerados exceções. A Football Association (FA), enquanto órgão máximo do desporto em Inglaterra terá de enviar um pedido de exceção ao Departamento de Cultura e Desporto do Governo.

Uma vez garantida a exceção, Tuchel teria autorização para assistir às sessões de treino do Chelsea, bem como aos jogos, durante os primeiros cinco dias da sua estadia em Inglaterra, no caso de testar negativo ao novo coronavírus. No entanto, o antigo treinador do PSG e do Borussia Dortmund, teria de se auto-isolar quando estiver fora da “bolha” do Chelsea.

Tuchel foi despedido do Paris Saint-Germain o mês passado depois de um início de época pouco convincente dos campeões franceses. Para o alemão, segue-se o Chelsea, que despediu o técnico e antiga estrela do clube, Frank Lampard. O clube do Oeste de Londres liderava a Premier League a 5 de dezembro, mas uma série de cinco de derrotas em oito jogos fez o milionário dono do clube perder a paciência.

Roman Abramovich não é propriamente conhecido pela tolerância perante maus resultados e mesmo depois da vitória sobre o Luton na FA Cup, Lampard não se livrou de entrar para a lista negra do russo. O antigo internacional inglês foi o 10º treinador a ser despedido desde que Abramovich comprou o Chelsea, em 2003.