Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Villas-Boas continua no Marselha e brinca com isso: "A não ser que me queiram despedir agora"

O treinador português, farto da especulação em torno da eventual saída do Marselha, aproveitou a apresentação de Arek Milik para falar sobre o assunto. Começou de cara séria e acabou a brincar com a situação

Tribuna Expresso

Quality Sport Images

Partilhar

Na tragicomédia em dois atos sobre a permanência de André Villas-Boas no Marselha, o português começou por contestar os críticos do seu trabalho. “Dizem-se muitas coisas, mas é normal em tempo de crise. Referir a falta de intensidade nos treinos é ridículo. (…) Quando as coisas correm menos bem diz-se muita coisa.” O antigo treinador do FC Porto lembrou o caso de Thomas Tuchel no PSG ou de Frank Lampard, no Chelsea. “Tivemos uma crise de resultados, mas vamos continuar a trabalhar.

Na parte dedicada à comédia, Villas-Boas, de sorriso estampado no rosto, esclareceu os presentes: “Se fico até final da época? Sim, a não ser que o Pablo Longoria (diretor desportivo do Marselha, presente na sala) me queira despedir agora. Isso pode acontecer! Com o que acontece no mundo do futebol, também me pode calhar a mim,” gracejou. “Vão despedir-me em direto,” brincou Villas-Boas quando os microfones se viraram para Longoria.