Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Daniel Kinahan: o maior fixer do boxe também é um perigoso senhor do crime. Alegadamente

Daniel Kinahan foi considerado pela justiça irlandesa uma das principais figuras de um gang de crime organizado. Apesar disso, continua ativamente envolvido no boxe, segundo a BBC

Tribuna Expresso

Al Bello/Getty

Partilhar

A BBC dedicou um episódio do prestigiado “Panorama” a Daniel Kinahan, suposto gangster e conselheiro de inúmeros pugilistas, apesar das notícias do ano passado que davam conta do seu afastamento da modalidade. Os promotores do desporto MTK Global anunciaram em 2017 que Kinahan tinha quebrado a ligação à empresa mas confirmaram no documentário que ele ainda fornece “aconselhamento pessoal” a alguns pugilistas.

A MTK Global disse à BBC que Kinahan nunca teve poder na empresa nem foi alguma vez registado como funcionário. O maior envolvimento de Kinahan no boxe terá sido revelado no ano passado, quando ficou a saber-se que era conselheiro de Tyson Fury, campeão da WBC.

Fury admitiu que Kinahan foi um dos responsáveis pelo regresso aos ringues em 2017, depois de o Gypsy King ter lutado contra uma depressão com drogas e bebidas à mistura. No entanto, a revelação de que Kinahan desempenhou um papel fulcral para que Tyson Fury defrontasse Anthony Joshua este ano foi mal recebida. O pugilista e o conselheiro decidiram acabar com a parceria. “Falámos com o Dan, que Tyson e eu admiramos e respeitamos, e ele entende que é melhor para as negociações do lado de Tyson,” disse o promotor Bob Arum ao “The Telegraph”, no ano passado. “Ele só quer o melhor para o Tyson Fury,” acrescentou Arum.

As críticas diminuíram significativamente quando foi revelado que Kinahan ia afastar-se do boxe. No entanto, o Panorama da BBC revela que esse afastamento nunca aconteceu. Os tribunais irlandeses consideraram que Kinahan é o líder de um grupo ligado ao crime organizado, cuja atividade envolve tráfico de droga, lavagem de dinheiro e execuções. Kinahan vive no Dubai deste 2016 e crê-se que o negócio seja gerido a partir daí.

A sua equipa de advogados mantém a versão da inocência de Kinahan, afirmando que as alegações contra ele são falsas. Os defensores do empresário argumentam que não há uma base sólida para as acusações. À BBC, os advogados disseram: “Ele tem orgulho no seu percurso no boxe. Kinahan operou numa base de honestidade com o compromisso de colocar as necessidades dos pugilistas primeiro”.