Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Depois de ter sofrido nove golos do Manchester United, o Southampton pede que o árbitro Mike Dean nunca mais arbitre os seus jogos

Os dirigentes do clube do Sul de Inglaterra ficaram irritados com a derrota histórica e também com algumas decisões do árbitro que podem ter dado um empurrão ao Manchester United

Carlos Luís Ramalhão

Laurence Griffiths

Partilhar

Em Portugal, o facto de um clube criticar duramente um árbitro e pedir que ele nunca mais arbitre um jogo seu quase nem seria notícia. Só que estamos a falar da Premier League, competição que estamos habituados a ver com os olhos no relvado e não nas declarações de um qualquer dirigente de um clube.

Facto: o Southampton perdeu 9-0 e isso deve doer. Jogadores, treinador, dirigentes só podiam estar de má cara no final dos 90 minutos. Muitos adeptos dos Saints devem ter pensado “ainda bem que não pode haver público nas bancadas”. Houve palmadinhas nas costas e tentativas de consolar os jogadores do Southampton.

No entanto, algo quase tão raro como uma goleada de 9-0 chamou a atenção da comunicação social. O Southampton está a planear um pedido muito especial: que o árbitro Mike Dean, que lhes expulsou dois jogadores e marcou um penálti duvidoso contra eles, nunca mais seja juiz de partidas que envolvam o clube.

O Southampton aproveitou a boleia para se queixar de outro árbitro, pedindo também o seu afastamento dos jogos em que o clube participe. Lee Mason, que esteve em campo na derrota dos Saints por 1-0 frente ao Aston Villa, foi o responsável por várias decisões pouco consensuais. Sobre esse jogo, o clube do Sul de Inglaterra alega que ficou um penálti por marcar a seu favor e um golo mal anulado por fora de jogo.