Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Onde pára o anel que um clube bielorrusso ofereceu a Maradona? Os herdeiros do astro argentino discutem por causa da joia

A joia preferida de Diego Armando Maradona está avaliada em 250 mil euros e foi um presente do clube bielorrusso Dínamo de Brest, do qual o argentino chegou a ser presidente. Agora serve para alimentar discussões entre os filhos do craque

Tribuna Expresso

SERGEI GAPON

Partilhar

Os problemas entre os herdeiros de Maradona começaram logo após o seu falecimento, a 25 de Novembro do ano passado. Sucedem-se as acusações entre os vários membros da família.

O advogado que representa Dieguito Fernando, o mais novo dos filhos de Maradona, veio dizer que um dos mais cobiçados objetos do argentino está na posse da irmã do seu cliente, Gianinna. Em causa está o anel, avaliado em 250 mil euros, oferecido a Maradona pelo Dínamo Brest, clube bielorrusso de que a estrela chegou a ser presidente.

A filha de Maradona desmente a acusação numa publicação no Twitter: “Se me matarem à procura de um anel que não tenho, são todos cúmplices,” escreveu a herdeira do antigo jogador.

A imprensa internacional diz que a joia era uma das preferidas de Diego Armando e a verdade é que só a história do anel é suficientemente insólita para aumentar o seu valor. Maradona recebeu-o como prenda em 2018, aquando da apresentação do argentino como presidente do Dínamo Brest, da Bielorrússia. Na altura, Maradona chegou ao estádio ao seu estilo, num tanque militar.