Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Benfica quer antecipar as verbas das vendas de Jiménez e de Raúl de Tomás

O jornal “Record” revela que as águias conseguiram antecipar, através de uma entidade financeira, o pagamento em parcelas de um valor que os dois clubes ainda deviam por Jiménez, no caso do Wolves, e de Tomás, no caso do Espanyol

Tribuna Expresso

Jiménez nos seus tempos de águia ao peito

FRANCISCO LEONG/GETTY

Partilhar

O Benfica chegou a acordo com ingleses e espanhóis para que as parcelas que os dois ainda deviam por Jiménez e de Tomás fossem pagas mais cedo do que estaria previsto. Segundo o “Record”, a questão foi arrumada nos últimos dias, após várias semanas de negociações entre a SAD do Benfica e a entidade financeiras.

A ideia do clube é garantir já um encaixe de vários milhões de euros que permita enfrentar os próximos meses, que se preveem difíceis em termos financeiros. Para Wolves e Espanyol, graças ao acordo do Benfica com a entidade financeira, a saída do dinheiro mantém-se inalterada. É na Luz que se sente a diferença. Através do pagamento de uma taxa de juro, o dinheiro chega já aos cofres do clube.

Jiménez começou por ser emprestado ao clube treinado por Nuno Espírito Santo, acabando por ser transferido em definitivo em abril de 2019, por 38 milhões de euros mais três milhões de uma taxa de empréstimo. Raúl de Tomás foi vendido ao Espanyol de Barcelona por 20 milhões de euros, a que se somam dois milhões por objetivos e a manutenção, da parte do Benfica, de 20% numa futura venda do jogador.

A pandemia não afetou apenas Jorge Jesus e o futebol benfiquista. Também a economia do clube ameaça fraquejar, daí que Luís Filipe Vieira ande à procura de novas formas de garantir liquidez, sem que tenha de vender jogadores. O presidente do Benfica já terá avisado que, na próxima época, esteja ou não na Liga dos Campeões, haverá cortes salariais.

Diga-se que a venda mais significativa desta época, que levou Rúben Dias para o Manchester City, não sofrerá o mesmo tipo de tratamento. Pelo menos para já. Segundo o “Record”, o clube da Luz não quis ainda receber qualquer adiantamento, embora seja sempre um recurso a considerar.