Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Fórmula 1: O ano passado havia um "Mercedes" rosa, este ano temos "o outro Mercedes"

A polémica da época passada não acabou. Mesmo que já não haja Racing Point, porque a equipa mudou de nome para o mais "bondesco" Aston Martin, as acusações continuam e fala-se agora no "outro Mercedes"

Tribuna Expresso

picture alliance

Partilhar

Na temporada passada, todos no paddock comentavam a semelhança entre o Racing Point e o hegemónico Mercedes. Começou a ser conhecido como o “Mercedes rosa” e considerado uma cópia descarada do W10.

Este ano, a equipa chama-se Aston Martin, o que faz pensar nas aventuras de Bond, James Bond. Este talvez não tenha o dedo de Q, com bancos ejetáveis e metralhadoras escondidas. O que o monolugar da equipa de Lawrence Stroll parece ter é, mais uma vez, uma semelhança “descarada” com o Mercedes de Hamilton e Bottas.

De facto, diz o jornal espanhol “Marca”, já há quem chame ao carro da Aston Martin “o outro Mercedes”. O autor da nova alcunha é Helmut Marko, da Red Bull. O austríaco referiu-se ao carro para falar da equipa que acolhe o tetracampeão Sebastian Vettel este ano. Recorde-se que os quatro títulos foram conquistados por Vettel num Red Bull.

Por coincidência, a Mercedes teve problemas com a caixa de velocidades, exatamente o que aconteceu à Aston Martin. Helmut Marko ironizou: “O segundo Mercedes, o Aston Martin, também teve problemas (…) ao lado da transmissão,” disse Marko à revista “Motorsport Magazin”.

Em relação ao principal favorito para ganhar o campeonato do mundo de Fórmula 1, o homem da Red Bull diz que é preciso esperar para ver como é realmente o Mercedes W12. Os testes não correram muito bem à equipa alemã. “O carro parece irrequieto e um pouco imprevisível. É uma equipa muito forte e ainda faltam 14 dias para a primeira prova,” disse Marko.