Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

O West Ham divulgou acidentalmente dados pessoais dos adeptos, incluindo moradas e números de telefone

O clube de Londres divulgou inadvertidamente nomes, endereços e números de telefone de adeptos no site do clube. De acordo com o West Ham, o incidente foi provocado por um “erro técnico” quando um funcionário acedia ao sistema de bilhética. De acordo com a “Forbes”, as pessoas afetadas ficaram completamente expostas a ataques de “phishing”.

Tribuna Expresso

Sean Gallup

Partilhar

No início de março, os adeptos do West Ham que tentaram aceder à bilheteira online no site do clube foram recebidos com várias mensagens de erro. Algumas divulgavam dados pessoais de outros fãs do clube londrino, colocando-os completamente à mercê de ataques por parte de piratas informáticos e de tentativas de “phishing”.

Peritos em segurança acreditam que o problema foi “um erro interno” que poderia ter provocado ainda mais problemas aos adeptos. Jake Moore, da empresa de segurança ESET, disse à “Forbes”: “É provável que tenha sido um erro interno que surpreendeu o clube, mas agora, com os donos das contas a poderem aceder a informação privada de outras pessoas, pode haver problemas mais graves”.

Até ao momento, não há qualquer sinal de dados de pagamento – como números de cartão de crédito – terem sido expostos. O West Ham diz que trabalhou em conjunto com o fornecedor e que o problema foi rapidamente resolvido. Todos os afetados foram entretanto contactados pelo clube.

Os clubes de futebol têm estado atentos a ciberataques nos últimos meses, depois de o Manchester United ter sido vítima de um, em novembro do ano passado. Dados secretos dos Red Devils caíram nas mãos de piratas informáticos, que tentaram extorquir milhões de libras ao clube. Aparentemente, o Manchester United conseguiu resolver o problema.

Em janeiro, foi organizada uma conferência sobre cibersegurança na Premier League, para preparar os clubes para estas eventualidades. A semana passada o Leeds United resolveu reforçar a segurança devido à possibilidade de piratas informáticos invadirem os sistemas informáticos do clube.